Selo Casa Azul: descubra como sua construtora pode receber este selo

Garantir sustentabilidade na construção civil tem sido um dos objetivos na pauta das construtoras. Nesse sentido, contar com certificações que atestem este compromisso – como é o caso do Selo Casa Azul – é de suma importância na área. 

Mais que uma responsabilidade inerente de qualquer atividade capaz de impactar o ambiente e a sociedade, prezar pela responsabilidade ambiental é também uma maneira de atender às novas exigências do mercado – que está cada vez mais voltado para essas questões.

Saiba mais, a seguir, sobre o que é o Selo Casa Azul: quais os principais requisitos para recebê-lo, os critérios avaliados e os níveis de sua adesão, bem como seus principais benefícios. 

O que é o Selo Casa Azul?

Criado no ano de 2010 pela Caixa Econômica Federal, o Selo Casa Azul é cedido para projetos habitacionais financiados pelo banco que adotam medidas responsáveis e racionais quanto à utilização de recursos naturais e que apostam na promoção de melhorias em sua qualidade habitacional e de seu entorno!

Seja no processo de construção, ocupação, utilização ou até em eventuais manutenções, o objetivo é atestar e incentivar a sustentabilidade dos projetos de construção; oferecendo suporte e estabelecendo diretrizes para os empreendedores, engenheiros e projetistas.

Ao todo, são 53 critérios de avaliação, desenvolvidos com o apoio de um time multidisciplinar de especialistas vindos das principais instituições acadêmicas do país, como a UNICAMP, USP e UFSC.

Para garantir pleno alinhamento à realidade habitacional brasileira, o Selo Casa Azul passou por uma atualização, quando foi adequado aos parâmetros do programa Procel Edifica Residencial e à Norma de Desempenho NBR 15.575.

Agora, também é possível aderir a um critério bônus. Que confere direito a uma pontuação por meio de avaliações não presentes no escopo principal da metodologia, que versam sobre a inovação empregada na obra em questão.

Quem pode se inscrever para recebê-lo e quais os requisitos?

O Selo Casa Azul pode ser obtido por qualquer empreendimento financiado ou submetido aos programas de repasse da Caixa Econômica Federal

Entre as organizações que podem se candidatar à certificação estão:

  • Negócios do ramo construtivo;
  • Cooperativas;
  • Empresas de habitação públicas;
  • Poder público;
  • Entidades que representam movimentos sociais;
  • Associações.

A avaliação dos critérios estabelecidos no Selo Casa Azul é feita pela Caixa Econômica Federal durante o processo de análise de viabilidade técnica do projeto. Contudo, o empreendimento em questão ainda precisa atender a certos pré-requisitos para que a avaliação siga adiante.

Entre os requisitos iniciais, é preciso apresentar:

  • Todas as licenças ambientais cabíveis, assim como avaliações ambientais em locais com riscos de contaminação;
  • Regularização fundiária, Plano Diretor, código de obras e demais documentações exigidas por lei;
  • Aprovação do projeto pelos órgãos competentes cabíveis;
  • Pleno alinhamento às normas de saúde e segurança do trabalho.

No próximo item, confira a lista completa das exigências levadas em consideração para quem deseja obter o Selo Casa Azul!

Critérios avaliados para a obtenção do Selo Casa Azul

Depois que o projeto for aprovado, a Caixa Econômica Federal emite o parecer sobre a graduação alcançada no Selo Casa Azul – que exige enquadramento em pelo menos 19 dos 5 critérios previstos, 

Na categoria Qualidade Urbana, os critérios são:

  • Qualidade do Entorno – Infraestrutura (obrigatório);
  • Qualidade do Entorno – Impactos (obrigatório);
  • Melhorias no Entorno;
  • Recuperação de Áreas Degradadas.

A categoria Projeto e Conforto, por sua vez, exige:

  • Paisagismo (obrigatório);
  • Flexibilidade de Projeto;
  • Relação com a Vizinhança;
  • Solução Alternativa de Transporte;
  • Local para Coleta Seletiva (obrigatório);
  • Equipamentos de Lazer, Sociais e Esportivos (obrigatório);
  • Desempenho Térmico – Vedações (obrigatório);
  • Desempenho Térmico – Orientação ao Sol e Ventos (obrigatório);
  • Iluminação Natural de Áreas Comuns;
  • Ventilação e Iluminação Natural de Banheiros;
  • Adequação às Condições Físicas do Terreno.

Para Eficiência Energética, os critérios são:

  • Lâmpadas de Baixo Consumo – Áreas Privativas (obrigatório);
  • Dispositivos Economizadores – Áreas Comuns (obrigatório);
  • Sistema de Aquecimento Solar;
  • Sistemas de Aquecimento a Gás;
  • Medição Individualizada – Gás obrigatório;
  • Elevadores Eficientes;
  • Eletrodomésticos Eficientes;
  • Fontes Alternativas de Energia.

Já em Conservação de Recursos Materiais, é previsto:

  • Coordenação Modular;
  • Qualidade de Materiais e Componentes (obrigatório);
  • Componentes Industrializados ou Pré-fabricados;
  • Formas e Escoras Reutilizáveis (obrigatório);
  • Gestão de Resíduos de Construção e Demolição (RCD) (obrigatório);
  • Concreto com Dosagem Otimizada;
  • Cimento de Alto-Forno (CPIII) e Pozolânico (CP IV);
  • Pavimentação com Resíduos de Construção e Demolição;
  • Facilidade de Manutenção da Fachada;
  • Madeira Plantada ou Certificada.

Na categoria Gestão da Água, estão os seguintes itens:

  • Medição Individualizada – Água (obrigatório);
  • Dispositivos Economizadores – Sistema de Descarga (obrigatório);
  • Dispositivos Economizadores – Arejadores;
  • Dispositivos Economizadores – Registro Regulador de Vazão;
  • Aproveitamento de Águas Pluviais;
  • Retenção de Águas Pluviais;
  • Infiltração de Águas Pluviais;
  • Áreas Permeáveis obrigatório;

Por fim, a categoria Práticas Sociais prevê:

  • Educação para a Gestão de Resíduos de Construção e Demolição (RCD) (obrigatório);
  • Educação Ambiental dos Empregados (obrigatório);
  • Desenvolvimento Pessoal dos Empregados;
  • Capacitação Profissional dos Empregados;
  • Inclusão de trabalhadores locais;
  • Participação da Comunidade na Elaboração do Projeto;
  • Orientação aos Moradores (obrigatório);
  • Educação Ambiental dos Moradores;
  • Capacitação para Gestão do Empreendimento;
  • Ações para Mitigação de Riscos Sociais;
  • Ações para a Geração de Emprego e Renda.

Entre as possíveis graduações emitidas para o selo, é possível obter os níveis Bronze, Prata e Ouro.

selo casa azul

Para garantir o Selo Casa Azul Bronze, basta atender aos 19 requisitos mínimos. Já para o Prata, é preciso ir além e também enquadrar-se em outros 6 opcionais. 

O nível Ouro, por sua vez, exige o padrão de 19 requisitos mínimos, e  ao menos outros 12 opcionais.  

Para garantir que os critérios enquadrados na obra realmente correspondam à realidade, são feitas constantes fiscalizações por meio de visitas e medições na obra.

Os benefícios do Selo Casa Azul para empreendimentos e construtoras

Agora que você já conhece as principais condições para a obtenção do Selo Casa Azul, é hora de compreender o que torna a adesão à essa certificação tão importante!

O primeiro benefício está relacionado ao que já mencionamos no início do artigo. Cada vez mais, os consumidores exigem e valorizam projetos que respeitem o meio ambiente. A sustentabilidade na construção civil, inclusive, vai muito além de um simples padrão comportamental de mercado. Sendo considerada, cada vez mais,  como uma das grandes tendências da engenharia civil.

Mais do que garantir uma atuação responsável e socialmente aceitável para sua construtora, este tipo de cuidado também é um importante diferencial competitivo perante a concorrência! Grande parte dos critérios solicitados exigem custos relativamente baixos de implementação – o que também torna o selo vantajoso.

Mesmo aqueles critérios que exigem gastos iniciais mais altos na obra podem ser vantajosos. Porque a eficiência garantida na edificação como um todo acaba sendo financeiramente viável.

Ao considerar questões como vãos de iluminação e orientação solar, por exemplo, o desempenho térmico da obra melhora significativamente. Evitando instalações e altos gastos energéticos com climatização ou, ainda, eventuais reformas. Uma vez que essas ponderações são feitas já na elaboração do projeto.

Em poucas palavras, o Selo Casa Azul é também uma garantia de mais qualidade para o resultado final da construção. Que, por sua vez, terá um ciclo de vida muito mais duradouro. E, consequentemente, garantirá um grau de satisfação muito maior entre os consumidores. 

Agora que você já conhece  todos os detalhes que envolvem a obtenção e as vantagens do Selo Casa Azul, quer saber ainda mais sobre outros assuntos da área de construção civil? Então, assine nossa newsletter! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *