EPCs: o que são e por que são tão importantes quanto EPIs?

As estatísticas e os riscos de acidentes laborais no setor da construção civil são elevados. Por isso, os profissionais e as empresas responsáveis devem levar a segurança no trabalho a sério e tomar medidas de prevenção, que abrangem desde treinamentos até materiais de segurança, incluindo os equipamentos de proteção coletiva (EPCs).

São diversos perigos aos quais os trabalhadores estão submetidos num canteiro de obras, desde maquinário pesado, trabalhos em altura e até materiais nocivos à saúde. Assim, a fim de evitar que acidentes aconteçam e que se desenvolvam doenças ocupacionais, a solução mais efetiva é a prevenção e a proteção dos profissionais.

Para isso, existem os equipamentos de proteção individual (EPIs), que como o nome já diz, são para o uso pessoal de cada trabalhador. São obrigatórios e ainda devem ser disponibilizados pelos empregadores. Entre eles, estão máscaras, luvas e capacetes.

Mas além dos EPIs, há também os EPCs que são de grande importância para prevenção de acidentes e doenças no trabalho, mantendo a segurança no canteiro de obras.

O que são os EPCs?

Ao contrário dos EPIs, os EPCs abrangem todos os trabalhadores e pessoas que eventualmente venham a circular pelo lugar, seja para uma visita ou por outros motivos.

 O intuito principal é proteger o local de trabalho, evitando que acidentes possam ocorrer naquele ambiente. 

Existem diversos equipamentos que podem ser usados para proteção coletiva, dependendo do setor e modelo de atuação. Na construção civil, são comuns as placas de sinalização em máquinas e locais perigosos, como em peças que podem se mover ou pisos instáveis.

Há ainda cones e faixas de segurança para restringir o acesso ou até mesmo isolar locais temporariamente, como lajes recém concretadas ou área de transição de caminhões. Além disso, existem equipamentos,  considerados por alguns como EPCs, que protegem contra eventuais incêndios, como extintores de incêndio, detectores de fumaça e sprinkles.

Além disso, alguns locais fechados devem contar com sistema de ventilação, purificação e eliminação de gases e vapores nocivos à saúde. Esses equipamentos são mais comuns em indústrias, onde há uma maior produção de gases tóxicos que precisam ser controlados.

Existem várias Normas Regulamentadoras que citam e regem o uso dos EPCs nas obras. A NR-9 e a NR-4, por exemplo, estabelecem que os equipamentos de proteção coletiva sejam adotados levando em consideração a atividade desenvolvida na indústria. 

Já a NR-6 cita que os Equipamentos de Proteção Coletiva (EPCs) devem ser a prioridade entre as medidas adotadas pelas Comissões Internas de Prevenção de Acidentes (CIPAs). Mas, para entender todas as regras sobre os EPIs e EPCs, é importante conhecer primeiro a fundo as Normas Regulamentadoras e suas exigências.

Qual a importância do uso dos EPCs?

O uso dos EPCs é uma exigência para a segurança do trabalho e é obrigatório em todas as obras do Brasil. Logo, as empresas e os profissionais que não disponibilizarem ou não realizarem a manutenção correta dos equipamentos estão sujeitas à penalidades previstas na legislação, como multas, embargos e responsabilidade criminal em casos de acidentes.

Além das questões legais, a importância da utilização dos EPCs vai muito além, uma vez que preza pela saúde dos trabalhadores, afetando diretamente as condições de trabalho, a produtividade, o cronograma e os custos da empresa. Os equipamentos aumentam não só a segurança, mas também o bem-estar no canteiro de obras.

Quando há uma negligência na adoção de EPCs, a chance de ocorrer acidentes laborais ou dos operários desenvolverem doenças aumenta.

Assim, implementar EPCs, além de uma obrigação, é uma das maneiras mais eficientes de evitar imprevistos que acarretam em prejuízos para ambos os lados. 

Vale ressaltar que, de acordo com a NR-9, quando comprovado pelo empregador ou pela instituição a inviabilidade técnica da adoção de medidas de proteção coletiva, ou até quando forem insuficientes ou estiverem em estudo, planejamento ou implantação, ou mesmo em caráter complementar ou emergencial, deverão ser adotadas outras medidas, como as de caráter administrativo ou de organização do trabalho e a utilização de EPIs.

Como fazer a gestão adequada dos equipamentos de proteção coletiva e individual?

Além de disponibilizar os equipamentos de forma gratuita aos trabalhadores do canteiro de obras, é preciso manter um controle e fazer uma manutenção periódica deles. Assim, há garantia do uso correto e constante tanto dos EPIs quanto dos EPCs.

É preciso registrar de modo eficiente e seguro as seguintes informações:

  •  Quando os trabalhadores pegam e devolvem os EPIs,
  • Quando há necessidade de realizar o treinamento de um novo profissional,
  • Quais são as datas e os comprovantes da manutenção dos EPIs e dos EPCs 
  • A quantidade de equipamentos que se encontra em bom estado ou em manutenção.

Porém, isso pode ser uma tarefa complicada, visto que diversos equipamentos podem ser utilizados em diferentes áreas de um canteiro de obras. Sendo assim, uma maneira prática de manter o controle é usar soluções tecnológicas.

Com o uso da tecnologia, a gestão se torna mais eficiente e produtiva permite, por exemplo, controlar os equipamentos de proteção individual, os treinamentos dos profissionais e as assinaturas, comprovando a entrega dos insumos.

Assim, garantindo que haja EPCs funcionando corretamente e com a devida manutenção e que todos os profissionais no canteiro de obras usam EPIs em bom estado, o sucesso do empreendimento é assegurado.

Já sabe o que são os EPCs e como garantir a utilização correta deles? Ficou alguma dúvida ou sugestão? Comente aqui embaixo e fique atento aos posts no blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *