5 dicas para melhorar o depósito de material de construção

Pode até parecer um fator sem importância, mas a forma como você organiza o depósito de material de construção tem ligação direta com a segurança, produtividade e economia no canteiro de obras. O problema é que, muitas vezes, essa gestão é deixada em segundo plano. Isso pode comprometer, e muito, o andamento de projetos e atividades.

Para garantir o melhor resultado possível antes, durante e após a prestação de serviços, é essencial que o gerenciamento seja inteligente. E isso só é possível mediante comunicação fácil, processos bem estabelecidos e engajamento dos profissionais envolvidos em todas as etapas.

Foi pensando nisso que reunimos algumas dicas para melhorar a organização do depósito de construção. O principal objetivo é eliminar chances de acondicionamento inadequado. Assim, aumentando a praticidade do ambiente e segurança dos colaboradores, facilitando questões logísticas e diminuindo perdas e desperdícios.

Depósito de material de construção: uma gestão inteligente

O armazenamento apropriado de matérias primas, maquinário e equipamentos da construção civil pode mudar a rotina de trabalho. Em especial, durante as etapas mais operacionais, que acontecem no canteiro de obras. É ali que alguns procedimentos tendem a fugir do planejado. 

Nessas horas, para que as coisas comecem a se complicar, não é preciso muito. Basta que alguns sacos de cimento sejam colocados em local inadequado. Ou até mesmo que um veículo não consiga fazer uma manobra correta e cause acidente de trabalho.

 

Antecipar-se ao que pode ocorrer na área do depósito de material de construção é uma das maneiras mais eficazes de garantir fluidez em operações diárias da obra. Confira as dicas abaixo para fazer uma gestão de estoque que pode beneficiar à todos:

#1 Atenção ao local

Escolher um local estratégico para as operações é a primeira ação a ser tomada, a fim de que o depósito de material de construção traga benefícios ao invés de problemas. Você, certamente, não deseja manter itens utilizados frequentemente em pontos muito distantes, nem perder tempo hábil com deslocamentos em vão.

A limpeza, iluminação e ventilação também são itens relevantes. Lugares bem higienizados, iluminados e arejados contribuem para a manutenção adequada dos materiais.

Por profissionais da construção atuarem em locais sujeitos a acidentes e insalubridade, a NR-21 é uma norma regulamentadora que merece sua atenção, pois define parâmetros de segurança e saúde àqueles que desempenham funções ao ar livre.

#2 Adequação da estrutura

Para manter tudo no seu devido lugar, é imprescindível que a estrutura escolhida para o armazenamento de materiais supra as necessidades da construtora. Além de distância do ponto-focal e logística de transportes, o depósito deve oferecer segurança, praticidade e conservação de produtos e equipamentos.

Os locais úmidos, quentes ou empoeirados, por exemplo, podem ocasionar danos diversos ao estoque. Mofo, rachaduras e ressecamento estão na lista das avarias mais comuns.

#3 Administração de materiais

Considere o posicionamento dos materiais no ambiente. Onde armazenar sacos de cimento, montes de brita e areia, tábuas, telhas, tubos, fios e cabos? Como você sabe, são itens que exigem cuidados distintos e não podem ser, simplesmente, jogados em um canto.

Há aqueles que podem ser mantidos em áreas externas, sem nenhum tipo de cobertura e outros que precisam de uma proteção. Há ainda os que devem ser empilhados, enfileirados e os que não podem manter contato direto com o solo.

Faça um planejamento do espaço disponível para o armazenamento indicado de cada item do estoque, mas não só isso! Considere quantidades, datas de validade, altura máxima de empilhamento, posição do sol, possibilidades de chuvas ou vazamentos e abrigo do vento.

#4 Acesso e demanda

Parece uma dica simples. Mas, na hora da correria, a tendência é pensar nela depois. Aí, pode ser tarde demais! Por motivos óbvios, os materiais com maior saída são os que devem ser acessados mais facilmente no depósito.

Pense também no posicionamento estratégico para os itens que necessitam de cuidados posteriores, como cortes, ajustes e polimentos. Além disso, os tubos de PVC, fios, cabos e vergalhões de aço são exemplos comuns de recursos que devem estar mais próximos de mesas e bancadas.

Vale lembrar que, assim como alguns materiais duram mais do que outros, vários deles são utilizados em diferentes etapas da obra. Planeje a compra dos itens segundo o cronograma do projeto. Isso evita que peças para acabamento, por exemplo, ocupem um espaço que poderia ser destinado a outros produtos mais urgentes.

Assim, cada material terá a sua vez de ser mantido no depósito de construção e não será preciso acumular tudo já, de início. Realize compras estratégicas. Os estoques menores são mais organizados, intuitivos e têm maior giro.

#5 Tecnologia e inovação

Por fim, não há nada como contar com o auxílio da tecnologia para melhorar o processo de gestão como um todo. Os softwares especializados proporcionam maior controle do início ao pós-obra.

Com um projeto bem executado, dentro do cronograma e com um orçamento previamente estipulado, a comunicação entre profissionais envolvidos em todas as etapas é colaborativa e transparente. Estas são conquistas essenciais para otimizar a organização em todas as frentes – incluindo depósitos de construção.

Não há dúvidas de que aprimorar a gestão de estoque na construção talvez seja um dos principais desafios de um gestor de obras.

É, de fato, uma tarefa que exige organização, planejamento detalhado, disciplina por parte de todos os envolvidos. Tudo isso a fim de que todos estejam na mesma página e conheçam os benefícios que essa decisão pode entregar.

É um trabalho intenso e de muita sincronia entre as equipes.

Por outro lado, as vantagens são amplas e contribuem para o atingimento de resultados em todas as frentes. O segredo, ao pensar em um depósito de material de construção, é o planejamento da instalação de um canteiro de obras funcional.

Somente assim, o projeto terá um local preparado para garantir bons resultados. Sempre mediante a combinação entre fluxo de materiais, dinâmicas de trabalho e execução dos processos internos.

Este artigo foi útil para você? Clique aqui e leia sobre outras novidades do setor construtivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *