Dicas para aprimorar a gestão de estoque na construção

Dentre os muitos desafios de um gestor de obras, com certeza estão um melhor gerenciamento da produtividade, a conservação adequada dos materiais utilizados, a redução de extravios e perdas e o controle de qualidade das entregas. Você já parou para pensar que muitos desses problemas podem ser solucionados com uma gestão de estoque bem feita desde o início?

Nesse conteúdo, falaremos sobre a importância do controle e da gestão de estoque na construção, seu funcionamento na prática, como melhorar a logística desse estoque “in loco” e outras dicas para que você possa não só aprender tecnicamente, mas, também, aplicar e adequar essas metodologias a cada projeto.

Medidas preventivas para uma boa gestão de estoque

Não é somente controlando o que entra e sai de materiais que se faz uma gestão de estoque em uma obra. Além disso, é preciso realizar um estudo preliminar para que as rotinas de canteiro, locomoção e logística de colaboradores e de materiais sejam estrategicamente definidas. Dessa forma, é possível obter um maior êxito nos quesitos armazenagem, logística e cronograma físico da edificação.

O controle de estoque envolve desde a determinação do local de armazenagem até estruturas planejadas, como uma cobertura para evitar principalmente chuva, sol e vento, protegendo o que será estocado.

Isso permite, além de uma administração quantitativa de materiais com o objetivo de diminuir gastos com perdas e furtos, um controle de estoque qualitativo, especialmente de materiais como madeira, cimento e gesso, que, se expostos à umidade, podem se deformar ou petrificar. Assim, tornam-se inutilizáveis e trazem custos adicionais e defasagens às finanças e ao prazo de entrega da obra.


Leia também: Gestão do estoque e reserva técnica: um diferencial para a sua assistência técnica


Planejando sua gestão de estoque: compra e armazenagem

Existem diversas maneiras de planejar um controle de estoque. Para cada projeto, deve-se analisar a quantidade de materiais necessária para cada etapa da construção. Dispor de uma área onde seja possível criar “pontos de armazenagem” para materiais iniciais, como ferros e madeira, auxilia muito na negociação e compra. Isso porque, havendo capital, pode-se conseguir melhores preços. Isso também é válido para os materiais de etapas futuras, como tubos de PVC, pisos, revestimentos e louças.

Caso não haja muitos metros quadrados disponíveis, a melhor solução é manter um monitoramento contínuo do que é utilizado diariamente e deixar alinhadas com seu fornecedor as previsões de reposição destes materiais em seu projeto.

Geralmente, edificações verticais não possuem muito espaço desocupado. Uma saída para isso é realizar a distribuição dos materiais nos pavimentos onde serão usados, contribuindo, assim, para a otimização da logística.

Como você pode fazer um controle de estoque eficiente?

Trabalhe sempre com ferramentas que possam ajudá-lo no controle das atividades. Felizmente, a tecnologia, hoje, nos dá diversas opções para adequar este controle de acordo com a necessidade de cada construção. No entanto, tenha em mente que alguns itens são primordiais para uma boa gestão de estoque. Falaremos sobre eles abaixo:

Descrição completa do produto/material

Faça a descrição do que está sendo controlado de maneira legível e em uma linguagem que todas as pessoas envolvidas no processo entendam perfeitamente. Se preferir, você pode usar nomenclaturas relacionadas à nota fiscal do produto para facilitar a comunicação.

É de suma importância registrar a unidade do que estiver sendo estocado, para evitar entregas de material em quantidades indevidas. Cimento, cal e gesso geralmente são disponibilizados em sacos. Vergalhões de ferro e tubos de PVC costumam vir em barras. Pisos e revestimentos são armazenados em caixas, e louças são contabilizadas individualmente.

Entrada e saída

Monitore dados como horário de entrada e saída de veículos de carga e descarga. Isso pode ajudar a evitar tempo desperdiçado com transporte e analisar prioridades. O concreto usinado, por exemplo, tem um prazo de vida útil. Deixar um caminhão betoneira carregado com o material esperando por falta de planejamento pode causar sérios danos financeiros e ao cronograma.

Quantidades

É primordial manter um controle da quantidade de cada material armazenado. Isso previne diversos problemas, como desperdícios, perdas, uso negligenciado, entre outros.

Adeque-o às suas necessidades, sempre priorizando a melhoria contínua de sua gestão.

Inventário

Na linguagem contábil, isso nada mais é do que uma listagem de bens que pertençam a uma determinada instituição. Tratando-se da gestão de estoque em uma obra, não podemos deixar de falar neste termo.

O inventário é essencial para um melhor planejamento e controle de material e custos. Como, na construção, a variedade de materiais e especificações é enorme, recomenda-se que isso seja feito gradativamente.

Dicas importantes para a gestão de estoque

Para obter um bom controle de estoque, minimizar perdas, furtos e danos aos materiais,  veja como você pode armazenar adequadamente alguns itens fundamentais para a construção e facilitar sua gestão.

Blocos cerâmicos

  • Guarde-os sobre pallets e organize-os por tipo (nunca mais do que dois empilhados).
  • Deixe-os em local coberto ou cubra-os em caso de chuva.

Aço

  • Armazene-o sobre caibros ou pontaletes, evitando o contato com o solo.
  • Estoque-o o mais próximo possível de uma bancada de corte e dobra, para facilitar a logística.
  • Separe os vergalhões por bitola.

Materiais ensacados

  • Armazene-os em lugar arejado, seco e fechado, sem contato direto com o chão.
  • Evite contato direto com paredes.
  • Sempre utilize primeiro os sacos mais velhos, para garantir a qualidade de uso do material.

Cimento: pilhas de, no máximo, 10 sacos de 50 kg.

Cal hidratada: pilhas de, no máximo, 20 sacos de 20 kg.

Argamassa de revestimento: pilhas de, no máximo, 10 sacos de 40 kg.

Argamassa colante: pilhas de 15 sacos de 20 kg.

Tubos e conexões de PVC

  • Guarde os tubos separados por tipo e diâmetro, com identificação.
  • Evite contato direto com o sol, para prevenir deformações e rachaduras no material.
  • Não deixe-os tocar o solo, conforme figura:
Tubos e conexões de PVC - Dicas para aprimorar a gestão de estoque na construção
Imagem: TAM – Tabela de Armazenamento de Materiais

Conexões

  • Mantenha-as em local fechado para evitar extravio.
  • Separe-as por tipo de conexão e bitola.
  • Conserve-as em prateleiras com identificação.

Componentes em madeira

  • Armazene-os sobre pontaletes, sem contato com o chão.
  • Estoque-os em lugar fechado e arejado, evitando contato com água para não empenar o material.
  • Para portas, é importante deixá-las na posição vertical e embaladas até o momento da instalação.

Revestimentos cerâmicos

  • Empilhe as caixas verticalmente em uma altura máxima de 1,5 m.
  • Estoque-os de maneira entrelaçada, a fim de garantir sua estabilidade.
  • Cuidado em todo manuseio do material, para assegurar a integridade das peças.

Tintas

  • Armazene-as em local seco e arejado, longe do calor.
  • Evite contato direto com o solo. Para isso, use estrados ou pallets.
  • Esteja atento aos prazos de validade.

Efetuar uma boa gestão de estoque na construção não é uma tarefa simples. Exige muita organização, planejamento, controle e disciplina, pois as atividades ocorrem simultaneamente, as equipes têm necessidades distintas e tudo deve operar em sincronia e sinergia. Um mau gerenciamento pode causar atrasos, perda de material, tensão e problemas nos cronogramas.

Quer se informar mais sobre gestão na construção? Confira nosso conteúdo sobre como a programação linear pode ajudar a otimizar a alocação de recursos e aprimorar ainda mais seu método de trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *