Como fazer um relatório de acompanhamento de obra (RAO) completo?

Manter registros de todos os acontecimentos relevantes em uma obra é fundamental para o sucesso dela. Para isso, o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) exige um documento que detalha os eventos que impactaram o andamento da construção chamado Relatório de Acompanhamento de Obra (RAO).

Está sem tempo para ler? Aperte o play abaixo e ouça o artigo sobre relatório de acompahamento de obra em áudio!

 

Os profissionais da área da construção civil sabem que muitos imprevistos podem causar atrasos e gerar gastos excessivos em uma obra. O clima pode não cooperar com o progresso dos serviços, os fornecedores podem atrasar a entrega de produtos – ou até mesmo enviar os insumos errados -, as máquinas podem estragar de repente e muito mais.

Assim, os colaboradores devem tomar medidas para prever e evitar ao máximo a ocorrência de situações que atrapalhem o andamento do projeto. Fazer o acompanhamento de obras digitalmente, por exemplo, é um modo de melhorar o controle sobre a gestão do setor. 

Mas, na maioria dos casos, é provável que imprevistos ocorram. Por isso, é necessário que haja uma anotação detalhada e frequente de todos os acontecimentos. Existem diversas maneiras de fazer esse registro, mas de qualquer forma, é obrigatório que as informações sejam preenchidas no RAO.

O que é Relatório de Acompanhamento de Obra?

Também conhecido como Diário de Obra, Livro de Ordem ou então Relatório Diário de Obra (RDO), o RAO é um documento  que deve ser preenchido todos os dias com os eventos relevantes de uma obra.

O RAO era regulamentado pela Resolução nº 1.024 do Confea, que vigorava desde 2009. Mas a partir de 31 de outubro de 2017, passou a ter sua regulamentação amparada pela Resolução nº 1.094.

Os objetivos principais do relatório são atestar a realização dos serviços, esclarecer dúvidas e garantir o cumprimento das orientações técnicas e administrativas, avaliar motivos de eventuais falhas técnicas, atrasos e custos excessivos, bem como servir de fonte para os trabalhos estatísticos.

Esse documento pode ser preenchido pelo engenheiro, arquiteto, técnico de edificações ou até um estagiário. Mas, é necessário que seja supervisionado pelo profissional registrado e responsável pela obra – que, na maioria das vezes, é um engenheiro.

Desde 2017, o Relatório de Acompanhamento de Obra passou a ser de uso obrigatório, conforme comunicado do Confea. Assim, ele deve ser mantido no canteiro durante todo o tempo de execução dos trabalhos.

O que incluir no RAO?

Cada estado tem um modelo padrão do relatório, pois cada CREA é responsável por instituir um Livro de Ordem próprio, em função das particularidades de sua jurisdição. 

Contudo, as empresas têm liberdade para customizar o RAO e preenchê-lo de maneira mais eficiente. 

De acordo com a resolução nº 1.094, devem constar, obrigatoriamente:

I – dados do empreendimento, de seu proprietário, do responsável técnico e da respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica (ART);

II – datas de início e de previsão da conclusão da obra ou serviço;

III – datas de início e de conclusão de cada etapa programada;

IV – os relatos de visitas do responsável técnico; 

V – o estágio de desenvolvimento do empreendimento no dia de cada visita técnica;

VI – orientação de execução, mediante a determinação de providências relevantes para o cumprimento dos projetos e especificações;

VII – acidentes e danos materiais ocorridos durante os trabalhos;

VIII – nomes de empresas e prestadores de serviço contratados ou subcontratados, caracterizando as atividades e seus encargos, com as datas de início e conclusão, e números das ARTs respectivas;

IX – períodos de interrupção dos trabalhos e seus motivos, quer de caráter financeiro ou meteorológico, quer por falhas em serviços de terceiros não sujeitas à ingerência do responsável técnico;

X – outros fatos e observações que, a juízo ou conveniência do responsável técnico pelo empreendimento, devam ser registrados.

Como facilitar e melhorar o preenchimento do relatório?

Vimos que registrar diariamente os acontecimentos no canteiro de obras pode ser útil para diversas finalidades. 

Comprovar a execução correta e a qualidade desses serviços ou até entender o que levou ao surgimento de uma falha que a construção venha a apresentar no futuro, se torna possível com o Relatório de Acompanhamento de Obra.

Além disso, o relatório contém informações que são úteis na avaliação do empreendimento, na prevenção de problemas e otimização da produção futuramente. Ou seja, ele serve também como um modo da empresa se auto avaliar e aprimorar.

Mas, preencher o Relatório de Acompanhamento de Obra pode ser uma tarefa difícil. Isso porque é necessário levar em conta, também, que há muitos profissionais envolvidos nos serviços. 

Assim, é essencial contar com a gestão do conhecimento e seguir algumas dicas para aprimorar o registro dos acontecimentos:

  1. Fazer a anotação diária; assim não há perda de informações importantes. Os registros podem ser feitos por outros profissionais, como estagiários, para não sobrecarregar o responsável técnico pela obra – mas lembre-se: ele precisa checar e supervisionar a tarefa depois.
  2. Explicar todos os dados dos acontecimentos de forma escrita também pode ser um problema, já que pode haver falta de clareza. Por isso, uma dica é detalhar de modo claro e objetivo, sem múltiplas interpretações.
  3. Utilizar a tecnologia é um modo de resolver diversos problemas, mesmo que não seja possível preencher todo o relatório com ela. Os softwares e móveis permitem que as informações que vão constar no Relatório de Acompanhamento de Obra sejam registradas de maneira prática e completa.
  4. Com o uso de aplicativos ou sistemas, é possível registrar de maneira mais rápida e precisa. Há também a vantagem de fazer registros fotográficos, vídeos e áudios dos acontecimentos, elevando a confiança nas informações.
  5. Nos softwares, é possível armazenar os dados de forma organizada e segura na nuvem. Muitas vezes, é possível também que todos os profissionais tenham acesso às informações em tempo real, de maneira remota e simultânea, fazendo com que a comunicação seja otimizada e agilizando a solução de problemas.

Além de obrigatório, o Relatório de Acompanhamento de Obra é um item importante para as empresas e deve ser levado a sério. Por isso, encontrar formas mais eficientes de realizar os registros é imprescindível para evitar retrabalhos, erros, custos e atrasos futuros.

Já sabe o que é Relatório de Acompanhamento de Obra e como preenchê-lo de maneira adequada? Ficou alguma dúvida? Deixe seu comentário e acompanhe os posts do blog.

Atenção: O conteúdo acima é de origem informativa. O Mobuss Construção não possui o RAO. Nossa ferramenta contribui com informações apenas para o preenchimento do RAO.


*Texto atualizado: 27/10/2021

4 Comentários


  1. Bom dia; gostei muito do conteúdo ficou bem claro ; minhas dúvidas ficaram esclarecidas .

    Responder

  2. Atualmente o Art. 8º da resolução nº1094/2017 Revoga-se a Resolução nº 1.024, de 21 de agosto de 2009. Por se tratar de um artigo publicado em 2020, acho válido atualizar essa informação.

    Responder

    1. Bruno, agradecemos pelo comentário e alerta. Já enviamos para o nosso time editorial atualizar este texto.

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Acesse nossos materiais educativos sobre construção