Principais impactos ambientais da construção civil e como evitá-los

A construção civil é um dos setores que podem causar diversos impactos ambientais. Desde o consumo de recursos naturais para a produção de insumos para o canteiro de obras, passando por mudanças de solo, áreas de sol e vegetação, até os reflexos no aumento no gasto de energia elétrica, por exemplo.

Muitos destes impactos acabam sendo necessários para que essa indústria continue ajudando no desenvolvimento do país e de suas tecnologias. Mas outros tantos podem ser evitados, levando, inclusive, a um retorno financeiro.

Assim, é importante que todo gestor conheça esses efeitos e busque alinhar suas obras para que os danos sejam minimizados.

Neste texto, citaremos alguns dos muitos impactos ambientais gerados pela construção civil e, principalmente, como preveni-los. Confira!

Os impactos ambientais da construção civil

Geração de resíduos

Entre diversas atividades produtivas, o setor de construção civil é um dos que mais geram resíduos. Isso, muitas vezes, está relacionado à falta de processos adequados e aos materiais disponibilizados para cada serviço. Um melhor gerenciamento nesse quesito, além de representar um ganho para o meio ambiente, também gera economia para a obra.

Uma das maneiras de conseguir isso é dar aos operários apenas a quantia necessária de recursos para o seu trabalho, contando com uma porcentagem de desperdício, que sempre existirá devido a quebras e imperfeições. Além disso, é possível diminuir a geração de resíduos com o uso de materiais reutilizáveis, como escoras metálicas em vez de um escoramento de madeira, por exemplo.


Leia também: Como a redução do uso de papel no canteiro de obras contribui com a preservação do meio ambiente


Ruídos (poluição sonora)

Impactos sonoros podem ser nitidamente percebidos durante as obras, mas não se resumem a elas. A construção de uma casa de shows, um estádio de futebol, um terminal de ônibus ou um shopping são exemplos de edificações que podem causar ruídos durante seu funcionamento e levar a perturbações nas vizinhanças diariamente.

É por isso que observar o Plano Diretor de uma cidade é tão importante, visando entender as limitações de cada tipo de construção e seus impactos ambientais locais.

Aumento do consumo de energia

De forma isolada, uma única edificação não parece fazer diferença no consumo de energia de um município. Mas se pensarmos em todo um novo bairro, ou na evolução de uma cidade durante os anos, podemos perceber que esse gasto aumenta consideravelmente com a chegada de novas edificações.

Além disso, há muito desperdício de energia nos canteiros de obras, com maquinário ligado enquanto não está sendo usado, por exemplo. Um gestor preocupado com esses impactos ambientais pode obter uma economia fundamental no final da construção, quando os orçamentos costumam ficar apertados.

Desperdício de água

Como é difícil de ser controlado e quantificado, esse é um dos impactos ambientais mais sentidos nessa indústria. Devido a isso, as edificações devem ser preparadas para a reutilização de água da chuva, amenizando o desperdício hídrico que frequentemente acontece.

Antes mesmo das obras ficarem prontas, é comum que haja um grande uso de água para diversos serviços, como a limpeza do canteiro, que comumente tem muita poeira e sujeira, e até para o cuidado com a saúde dos trabalhadores.

Mudanças em depósitos hídricos naturais

O gasto hídrico também pode ser notado em obras hidráulicas que não foram bem executadas e em tubulações que apresentam problemas. Como os canos estão sempre embutidos em alvenaria ou escondidos em mochetas, alguns vazamentos só são percebidos pelo aumento na conta de água ou por complicações que podem demorar a aparecer.  

Além disso, dependendo da localização da obra, ela pode ser responsável por afetar os lençóis aquáticos ou até a impermeabilização do solo. É importante que esses lugares sejam muito bem avaliados e que os impactos ambientais sejam os menores possíveis, já que essas intervenções podem levar a desastres.

Poluição

A construção civil pode ser responsável pelo crescimento da poluição quando as leis e normas não são respeitadas e as edificações são feitas sem o cuidado necessário com o meio ambiente. Um exemplo são sistemas de tratamento de esgoto construídos de forma errada. Além disso, o armazenamento incorreto de materiais pode acabar poluindo o solo, a água e o ar.

Por outro lado, o setor pode contribuir para a diminuição desses impactos ambientais com a criação de sistemas de tratamento de esgoto. Ou, de maneira mais indireta, com a construção de parques, por exemplo.

Aquecimento global

O segmento pode ter impacto direto sobre o aquecimento global, grande preocupação mundial. Principalmente devido a legislações e práticas que ainda não preveem, por exemplo, o replantio de árvores para minimizar os danos gerados durante uma obra.

Apesar disso, muitas empresas já têm adotado medidas e repaginado seus projetos para que contenham mais áreas verdes, como uma forma de melhorar o bem-estar ambiental e atrair clientes. Em certas edificações, esses locais podem ser vistos no último pavimento, de modo que as corporações conseguem beneficiar a natureza otimizando o espaço da construção.

Conclusão

Edificações mais sustentáveis são fundamentais para a sociedade, para o crescimento da indústria da construção e para a conservação do meio ambiente. Se o setor se dedicar a essas melhorias e combater desperdícios, pode evoluir muito, gerando economia, bem-estar e saúde.

Os impactos ambientais gerados pela construção civil são inevitáveis para a continuidade do desenvolvimento das cidades. No entanto, o setor pode atuar como um agente transformador quando segue políticas para redução de mudanças prejudiciais ao meio ambiente. Afinal, ainda há muita margem para diminuir os desperdícios e melhorar o reaproveitamento de materiais.

Baixe nosso e-book Construção sustentável: reduzindo o impacto ambiental sem perder qualidade na obra, que explica a importância de ser sustentável e fala de um conceito de projetos que diminui o impacto ambiental dentro das edificações, além de tratar do uso correto da água nos canteiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *