Como trazer mais eficiência para a gestão de custos na indústria da construção

A gestão de custos na indústria da construção é de extrema importância para obter bons resultados em um mercado de tanta competitividade. Buscar a redução de gastos nas diversas frentes de um canteiro de obras é uma das principais responsabilidades de qualquer gestor da área. Por isso, estar atento a metodologias mais eficientes é fundamental.

A gestão financeira é um grande guarda-chuva que abriga a racionalização de custos e o corte de gastos. O objetivo maior, ao final da obra e na entrega do empreendimento, é apresentar um valor desembolsado que seja coerente com aquilo que foi previsto.

Pensando nisso, buscamos demonstrar neste artigo quais são os principais pontos de atenção para um gestor conseguir fazer uma gestão de custos na indústria da construção mais eficiente. Já adiantamos que, hoje, a tecnologia tem papel fundamental nesse trabalho. Confira!

Organize um cronograma físico-financeiro

O processo de gestão de custos na indústria da construção deve acompanhar todo o período de obras por meio de um cronograma físico-financeiro. Deve-se separar os estágios de construção – cada um deles pede um controle de gastos específico, desde o projeto (com despesas de assessoramento, alvarás, estudos e licenças) até a execução pela própria equipe da construtora e por contratados (funcionários terceirizados e outros prestadores de serviço).

Com um cronograma desse tipo, é possível criar uma estimativa de gastos e negociar melhores condições financeiras. Vale a pena lembrar que esse controle detalhado de custos influencia no resultado de todos os departamentos, pois despesas descontroladas são verdadeiras bolas de neve que podem impactar toda a operação de uma empresa de construção civil.

Se você pensa que um cronograma como esse e toda a documentação gerarão um grande volume de planilhas em papel, isso está longe da realidade de construtoras que se planejam de forma eficiente. Todos esses arquivos podem estar à disposição dos membros da equipe por meio de tecnologias que auxiliam na gestão do negócio.

Racionalize o uso de matéria-prima

Evitar o desperdício de materiais é uma das principais soluções para um controle financeiro eficiente. Os custos relacionados à geração de resíduos são muito altos e o estoque de matéria-prima pode ser comprometido pela falta de racionalização do uso desses insumos.

Estudos revelam que a falta da cultura de utilização dos 3 Rs da sustentabilidade (reduzir, reutilizar e reciclar) gera, em média, 50% de entulho desperdiçado no mundo. Apenas no Brasil, evidenciou-se em janeiro de 2009 uma produção de 850 mil toneladas de entulho por mês.

Nesse contexto, uma ação fundamental é a capacitação dos profissionais com técnicas de racionalização do uso de materiais e destinação correta de resíduos, que podem se converter em insumos para outros processos da obra.

Gerencie a alocação de equipamentos

Máquinas têm seu custos calculados por hora, levando em conta fatores como preço praticado no momento da aquisição, despesas de manutenção e operação e sua depreciação ao longo do tempo. O resultado é o valor que cada obra vai “consumir” do equipamento.

Vale ressaltar que a construção civil pode apresentar um cenário de baixa produtividade, gastos e prazos divergentes dos previstos e índices de perdas muito além do que é considerado saudável em um negócio. Muitos desses problemas estão ligados a uma maneira pouco eficiente de lidar com os dados de apontamento, como o uso de planilhas de papel para as anotações (gerando retrabalho com digitação).

Ferramentas tecnológicas auxiliam os profissionais a gerir o enorme fluxo de informação coletado diariamente. Com elas, podem ser registradas horas de retrabalho, tempo de utilização de equipamentos e duração de tarefas (e tudo isso pode ser visualizado em gráficos de fácil consulta e análise).

Os serviços precisam ser acompanhados e a produtividade deve ser medida em prol de resultados satisfatórios para os empreendimentos. Isso diz respeito ao trabalho dos funcionários (cumprimento de prazos e faltas) e à disponibilidade de máquinas e materiais. Com um sistema automatizado, tudo fica mais fácil e eficiente.

Esteja atento às responsabilidades trabalhistas

Questões trabalhistas podem causar muitos prejuízos a uma construtora. Esses problemas, aliás, são alguns dos maiores desafios que o setor enfrenta. Mas é possível prevenir os litígios com medidas simples, como um planejamento de rotinas laborais, a atribuição de responsabilidades a funcionários sem desvios e a implantação de manuais de procedimentos que tratem do uso de EPIs e de operações.

Seguir à risca a legislação é fundamental para evitar o risco de sofrer uma ação trabalhista. O gestor deve cumprir as normas relacionadas ao seu tipo de empresa e empreendimento e, também, aquelas acordadas em convenções de representantes dos empregados.

Adote medidas em prol da sustentabilidade

Para uma construtora moderna, mostrar que sua operação se preocupa com os temas ambientais e com a sustentabilidade é fundamental para manter o negócio competitivo.
Ao contrário do que muita gente pensa, adotar medidas sustentáveis não aumenta os custos de uma obra. Na verdade, a gestão que assume essa postura promove a otimização dos processos de toda a cadeia de execução, o que diminui gastos.

Como exemplo, podemos citar mecanismos para o controle do desperdício de água, o uso de geradores limpos (energia solar) para abastecer equipamentos com eletricidade e o reaproveitamento de resíduos.

Utilize a tecnologia a favor da gestão de custos na indústria da construção

Atualmente,  soluções tecnológicas já permitem melhorar a eficiência do  gerenciamento de processos no canteiro de obras.  

Os dados são compilados em tempo real e podem ser resgatados de maneira rápida e segura, quando necessário. Tudo isso é feito de forma integrada às outras áreas do empreendimento, o que evita erros e retrabalhos por falhas na comunicação entre os membros da equipe.

O time responsável pela gestão pode atualizar, rapidamente, todas as informações a respeito da obra, com possibilidade de geração de planilhas, gráficos e relatórios contendo os mais diversos indicadores de desempenho. Com uma visão tão detalhada de todo o processo, fica mais fácil corrigir os rumos antes que os problemas cresçam e causem prejuízos.

O resultado do uso dessas ferramentas tecnológicas é uma gestão mais eficaz e uma tomada de decisões mais segura, o que gera a redução de gastos e o aumento da produtividade e da rentabilidade do negócio.

A FG Empreendimentos, por exemplo, diminuiu o desperdício de insumos ao controlar eletronicamente todas as entregas, as devoluções e o gerenciamento de equipamentos de proteção individual (EPIs). Tudo por meio de tablets e em tempo real, diretamente nos canteiros de obra. O resultado foi uma queda drástica no uso de papel (o que representa economia) e um aumento da segurança no registro das informações (o que previne riscos jurídicos).

Como vimos, o sucesso de um empreendimento depende da eficiência apresentada pela gestão de custos na indústria da construção. Quando esse trabalho é bem feito, os benefícios são colhidos em todas as áreas da empresa. Ao final, o principal indicador de resultados será a relação do previsto com o realizado em termos de aplicação de recursos.

Não fique com dúvidas sobre a otimização da gestão financeira de seu negócio. Entre em contato conosco e saiba como o Mobuss Construção pode te ajudar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *