Entenda o funcionamento básico da fiscalização de obras

Para garantir entregas mais eficientes e assertivas, os profissionais precisam focar na otimização da fiscalização de obras. Assim, é possível evitar erros que geram retrabalhos, custos inesperados e atrasos no cronograma. 

Durante a execução de uma construção, muitas fases estão interligadas. O atraso em um dos estágios da obra, afeta diretamente a entrega das demais etapas. Por isso, para manter a conformidade com os projetos, é preciso conferir frequentemente se tudo está sendo construído de acordo com o planejado.

Além da qualidade e conformidade, a inspeção de obras busca averiguar a segurança daquilo que está sendo construído. Para isso, são fiscalizadas questões como: os documentos legais da obra, a utilização de EPIs, o cumprimento das normas e também a própria estabilidade dos elementos estruturais. 

Caso não esteja nos padrões de segurança, o especialista no setor competente pode paralisar a construção e aplicar penalidades. Por isso, é importante saber como funciona a fiscalização de obras e quais métodos devem ser aplicados. Confira agora mais sobre o assunto!

O que é fiscalização de obras?

De maneira geral, podemos definir a fiscalização de obras como a atividade responsável por atestar a conformidade dos serviços executados. Existem dois tipos de fiscalização: a interna, realizada pela própria empresa ou por terceirizados, que funciona como um controle da qualidade dos serviços; e a fiscalização externa, que tem caráter coercitivo, educativo e preventivo.

O tipo externo busca garantir, por meios legais, que a obra só será entregue quando estiver em dia com as obrigações. Essa fiscalização é realizada pelos órgãos competentes do meio público, como a Prefeitura.

Na prática, o profissional dessa área confere se tudo está sendo executado conforme: 

  • Os projetos;
  • A segurança;
  • O orçamento;
  • O cronograma. 

Assim, a fiscalização de obras funciona como uma maneira de garantir o bom andamento e a qualidade dos serviços construtivos. 

Quem é o responsável pela fiscalização de obras?

Independente de ser uma fiscalização interna ou realizada pelos órgãos públicos, o agente deve ser um profissional devidamente habilitado. Ou seja, um engenheiro registrado no CREA ou arquiteto registrado no CAU e especializado nesse setor.

No caso do profissional contratado por órgãos públicos, deve-se ser imparcial e não pode ter vínculo com as construtoras responsáveis pelas edificações que ele irá atuar. 

O fiscal precisa conhecer e se manter atualizado quanto às legislações urbanísticas e as normas técnicas. Deve, ainda, conseguir ler e interpretar os projetos construtivos, desde o arquitetônico até o estrutural. 

Por que é importante fazer a fiscalização de obras?

Do ponto de vista legal, a fiscalização de obras é a única maneira de garantir que uma construção será entregue em conformidade. Por isso, em obras públicas, a fiscalização tem um papel crucial, atestando que o dinheiro público foi gasto de maneira eficiente.

Já se tratando da vistoria realizada internamente pelas construtoras, o principal benefício é o controle da qualidade. Com inspeções periódicas, é possível encontrar os erros antes que eles passem despercebidos ou que seja tarde demais para corrigir. Além disso, é possível gerar um relatório de acompanhamento de obras.

Por isso, realizar fiscalizações nos empreendimentos é uma atividade fundamental para evitar os retrabalhos, reduzindo custos e atrasos. Assim, o objetivo principal é garantir que a construção seja entregue dentro do orçamento e do cronograma, com qualidade e segurança. Isso tudo gera uma maior satisfação do cliente, que vai receber um empreendimento conforme o projeto. 

Como fazer uma fiscalização de obras adequadas?

Cada obra é diferente, não existe uma maneira única ou um manual de como fazer a fiscalização. Mas, existem algumas práticas que são comuns a todas as construções e que o profissional deve se atentar e realizar. 

Confira abaixo 4 dicas para realizar o processo:

Analise com cuidado os contratos e documentos

Para garantir que o projeto esteja em conformidade com as legislações e normas, é crucial fazer uma conferência dos documentos. O especialista precisa ficar atento e analisar com cuidado toda a documentação, como por exemplo, o alvará de construção. Esses registros devem estar sempre acessíveis e organizados.

Realize visitas técnicas periódicas

Para identificar as falhas antes delas se tornarem grandes problemas, deve-se realizar visitas técnicas com frequência, analisando todas as atividades que já foram executadas. Assim, é possível evitar que haja um acúmulo de retrabalhos ao fim da obra.

Verifique a aprovação dos projetos

Além de averiguar se o que está sendo executado está em conformidade com os projetos, o fiscal precisa garantir que os diferentes desenhos, do arquitetônico aos complementares, tenham sido aprovados. Caso isso não ocorra, a construção é considerada ilegal e todos os serviços deverão ser interrompidos.

Confira o relatório final e o contrato de encerramento

Tudo aquilo que foi acordado como o cliente deve, obrigatoriamente, ser entregue ao fim da construção. Por isso, o profissional precisa conferir o contrato de encerramento e o relatório final, garantindo que todos os detalhes estão condizentes. Realize uma vistoria final

Além das visitas técnicas durante a execução, é muito importante realizar uma vistoria de obra final. Dessa forma, o especialista na área consegue averiguar se todos os problemas foram corrigidos e se nenhuma desconformidade ficou para trás.

A fiscalização de obras é uma atividade crucial para o sucesso dos empreendimentos. Ela garante que a obra siga de acordo com os projetos, legislações e normas do setor. 

Agora você já sabe o funcionamento básico da fiscalização de obras, mas se ficou alguma dúvida, compartilhe aqui nos comentários com a gente!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Acesse nossos materiais educativos sobre construção