Como usar o SINAPI em um orçamento de obras de construção civil

O SINAPI é o Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil, que conta com dados e índices gerais, atualizados mensalmente pela Caixa Econômica Federal e pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para a elaboração de orçamentos de engenharia.

Independente de qual for a edificação e de sua complexidade, ela começa muito antes do posicionamento do primeiro tijolo. Afinal, criar o orçamento de obras de construção civil detalhado ou qualquer outro serviço de engenharia é uma das etapas mais desafiadoras do projeto como um todo. Porém, é também indispensável por uma série de motivos.

Quer saber mais? Então, confira o post de hoje!

O que é o SINAPI?

Além de servir como parâmetro para a tomada de decisões, o SINAPI também controla despesas e receitas futuras, evita desvios financeiros e fornece uma visão geral mais precisa sobre o resultado econômico ao final dos processos.

O sistema é “indicado pelo Decreto 7983/2013, que estabelece regras e critérios para elaboração do orçamento de referência de obras e serviços de engenharia, contratados e executados com recursos dos orçamentos da União, para obtenção de referência de custo, e pela Lei 13.303/2016, que dispõe sobre o estatuto jurídico da empresa pública, da sociedade de economia mista e de suas subsidiárias.”

O cálculo correto do custo de construção, aliás, pode prevenir atrasos e demais tipos de ocorrências. Por vezes, um trabalho minucioso gera incertezas sobre preços praticados pelo mercado. A tabela SINAPI foi criada justamente para sanar dúvidas desse tipo.

Histórico da tabela de preços SINAPI

A tabela SINAPI disponibiliza preços e custos que servem de referência, com informações divididas por Estados e incluindo os principais itens vinculados à construção civil. São exemplos: mão de obra, materiais e equipamentos.

Trazendo um breve histórico, o sistema teve sua inauguração em 1969. Naquela época, era fechado pelo Banco Nacional de Habitação (BNH) e utilizado para orçar somente as obras habitacionais. Quase 20 anos depois, o SINAPI passou a ser administrado pela Caixa Econômica Federal.

Em 2000, o CBIC percebeu que os valores não eram condizentes com os praticados no mercado. Os processos de adaptações e revisões de preços levaram anos e, apenas em 2013, a utilização do SINAPI foi suprimida pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e passou a ser indicada pelo Decreto 7983.

Desde maio do ano passado, os relatórios passaram a ser publicados com a inclusão de composições analíticas, em dois formatos: PDF e XLS.

Download da tabela SINAPI

O primeiro passo para elaborar um orçamento de obras de construção civil utilizando o SINAPI é fazendo o download da tabela. Para isso, acesse o site da CEF neste link.

Depois, procure pela opção “Preços e Custos de Referência”, para ser direcionado a uma lista com todos os estados brasileiros. Assim, selecione o que for de sua preferência.

Na próxima página, haverá uma outra listagem. Desta vez, com nomes como: “SINAPI – a partir Jul/2009 – SC”, finalizando com a sigla dos estados. Neste exemplo, Santa Catarina (SC). Com isso, basta escolher a alternativa pela qual procura.

Abaixo, você terá os relatórios de insumos e composições separados por mês — o mais atual, sempre no topo —, em duas versões: com desoneração e sem desoneração.

Cada arquivo no formato ZIP é formado pelas seguintes tabelas:

  • Catálogo de composições analíticas;
  • Custos de composições analíticos;
  • Custos de composições sintéticos;
  • Preços de insumos;
  • Notas.

Espere que o download seja finalizado para abrir as tabelas respectivas.

Como acessar e utilizar a tabela SINAPI?

É chegada a hora de realizar o orçamento de obras de construção civil, de acordo com os custos praticados atualmente em cada localidade do mercado brasileiro.

Lembre-se que as tabelas são abrangentes e compreendem diversos materiais e serviços relacionados aos segmentos, além de processos englobados pelo mesmo setor. Antes de começar o orçamento de obras de construção civil, dê uma olhada em todas as opções e verifique as possibilidades existentes.

Abra um dos arquivos de custos e índices baixados e faça testes. Busque, por exemplo, algum serviço preliminar como “Placa de Obra”. Clique em uma das opções possíveis. Note que a unidade de medida é por metro quadrado (m2) e o custo é unitário.

Os preços informados terão como base, logicamente, o estado e o mês escolhidos.

Agora, abra o catálogo de composições analíticas. Já na planilha, pesquise pelo código do item selecionado. No caso deste exemplo, a “Placa de Obra”. Ali, você verá os insumos e a constituição considerados.

Vale lembrar que um planejamento eficiente abrange diversas etapas, podendo influenciar diretamente o orçamento de obras de construção civil. Portanto, é necessário prepará-lo com muito cuidado, utilizando-se das teorias e de acordo com a realidade da edificação.

Quer um passo a passo de como estruturar o orçamento de obras de construção civil bem-sucedido? Acesse este post!

 

2 Comentários


  1. preciso do preço por m/2 de edificio de 14 andares com 4 apartos. por andar com uma média de 154,00 m/2 por unidade

    Responder

    1. Olá José!

      Agradecemos pelo seu comentário.

      Neste caso, sugerimos que você consulte um profissional especializado na sua região, que poderá avaliar as especificações do seu projeto.

      Abraços!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *