Qual a importância do planejamento no setor da construção?

Se você trabalha no setor de construção, com certeza já ouviu falar sobre a importância do planejamento da obra para chegar ao sucesso. Planejar corretamente é começar com o pé direito e a etapa de programação das atividades costuma ser determinante para o resultado do projeto.

O planejamento é muito mais do que prever datas e prazos. Planejar é uma tarefa complexa, que envolve todos os aspectos da obra, desde mão de obra até os suprimentos que serão utilizados — e o planejador deve considerar cada detalhe para evitar surpresas.

Preparamos este post para te ajudar a entender mais sobre o assunto!

Benefícios do planejamento na construção

Como o próprio nome diz, imprevistos não podem ser antecipados e são uma realidade na construção. No entanto, os efeitos deles podem ser atenuados com um bom planejamento. Com a experiência de planejadores e engenheiros, é possível prever as principais situações recorrentes em obras e incluir no planejamento as ações a serem tomadas caso elas ocorram, evitando atrasos na conclusão e entrega.

O cronograma físico financeiro gerado durante o planejamento é uma grande ferramenta de gestão e controle da obra. Com ele é possível acompanhar a execução, os custos e as receitas da obra, de maneira a otimizar o uso dos recursos e limitar os gastos, para garantir que o orçamento seja respeitado. Um bom cronograma físico financeiro garante uma sinergia entre orçamento e planejamento de obras.

Ferramentas e metodologias de auxílio ao planejamento

Devido à grande importância do planejamento, empresas e estudiosos desenvolveram diversas ferramentas e metodologias para guiar os profissionais dessa área. Hoje vamos falar sobre três delas:

1. Lean Construction

Essa metodologia, que pode ser traduzida como “construção enxuta”, foca em ações para enxugar qualquer gasto desnecessário na obra, eliminando o desperdício de recursos. Um planejamento feito nesses métodos visa a produtividade máxima da equipe, ou seja, elimina reservas de mão de obra que poderia ficar ociosa.

Ao optar por essa ferramenta, é preciso estar atento para não exagerar na diminuição dos recursos e prejudicar a execução do projeto. É fundamental o alinhamento entre planejadores, engenheiros e a equipe.

2. PDCA

Como já vimos em outro post por aqui – sobre a aplicação da metodologia PDCA como facilitadora na gestão de projetos, o termo de origem inglesa (Plan, Do, Check, Act), tem como sua primeira etapa, identificar parâmetros a serem aprimorados e planejar estratégias para tal.

Ou seja, apontar as deficiências, definir as soluções e devidos prazos e custos. Sempre priorizando a segurança – fator primordial na indústria da construção.

3. PMBOK

Estar atento ao que os especialistas da área estão fazendo é importante para qualquer profissional. O PMBOK, uma espécie de manual que aborda os principais práticas e conhecimentos necessários para uma boa gestão de projetos. A publicação contempla não apenas a fase de planejamento, como também de execução, controle e encerramento. Esse estudo é de autoria da PMI (Project Management Institute), uma associação para profissionais de gerenciamentos de projeto. O instituto oferece cursos e certificações para trabalhadores interessados em se desenvolver e aprender conceitos sobre gestão e planejamento de projetos.

Lembrando que este não é o único estudo que auxilia os profissionais da construção a se embasar com maior segurança.  Porém, escolhemos citá-lo pois se trata de uma coletânea referência para muitas metodologias existentes atualmente.

Importância do planejamento e como ele pode ser afetado

Durante o planejamento são tomadas decisões sobre métodos e formas de execução da obra que são fundamentais para o atendimento dos prazos, dos requisitos de qualidade e do orçamento por exemplo. Para não errar e prejudicar o projeto, é bom ficar atento a alguns pontos:

  • Disponibilidade de mão de obra: dependendo da região e da época do ano, a disponibilidade de pessoal pode variar bastante. Durante a obra, o absenteísmo e a rotatividade podem prejudicar a execução;
  • Índices de produção e metas: estabeleça índices de produção realistas e metas desafiadoras e alcançáveis, pois estes servirão como guia para execução;
  • Integração escritório X canteiro de obras: para um bom planejamento e execução, a equipe inteira precisa falar a mesma língua;
  • Logística: deve ser muito bem coordenada para não prejudicar todo o trabalho de planejamento.

De acordo com um estudo publicado pela UFRGS, a falta de planejamento é a segunda maior causa de não cumprimento de pacotes de trabalho em obras, perdendo apenas para problemas com mão de obra. Por isso, atentamos para a importância do planejamento para a vitalidade da execução bem-sucedida de todo projeto na indústria da construção. Gostou do que viu? Compartilhe com seus colegas e amigos nas suas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *