Líder ou chefe: saiba a diferença dos perfis para o canteiro de obras

O universo corporativo já compreendeu que apenas através de uma gestão eficiente é possível garantir o crescimento e o sucesso dos negócios. E, assim, essa gestão não deve considerar somente aspectos técnicos, gerenciais e estratégicos, mas também práticas relacionadas ao capital humano, como a atração e retenção de talentos, o desenvolvimento dos profissionais e a composição de equipes de alta performance.

Esses elementos são essenciais para a conquista de produtividade e excelência, inclusive no mercado de engenharia e construção.

Os líderes e os chefes

Neste cenário, há duas figuras clássicas: os líderes e os chefes. A postura desses gestores é influenciada por uma série de fatores, como a formação acadêmica, experiências anteriores e modelo mental, além de princípios e valores pessoais. Porém, é preciso lembrar-se de que existem muitas diferenças entre esses dois perfis. Em linhas gerais, o líder apresenta melhores resultados para a empresa, exatamente por possuir competências comportamentais diferenciadas, como inteligência emocional e maturidade.

Para ser um bom gestor e administrar uma equipe, é fundamental perceber as principais características e atitudes de cada estilo de gestão, reconhecer-se como líder ou chefe, e então trabalhar para o próprio aperfeiçoamento profissional. Assim, o gestor se torna capaz de reforçar a liderança no canteiro de obras de forma verdadeiramente eficaz.

O perfil do chefe

O chefe costuma ser mais prático e exato, baseando sua gestão em conhecimentos técnicos. Também é centralizador de informações e decisões e, por causa disso, tem alguma dificuldade em delegar responsabilidades e autoridade. Não é um bom comunicador e essa limitação, muitas vezes, impacta diretamente no desempenho da equipe. Além disso, o chefe também não abre muito espaço para a participação dos colaboradores, não incentiva a colaboração ou a inovação, e muitas vezes não está disposto a ouvir ideias e sugestões. Normalmente, assume um estilo “ditador”, mantém uma certa distância em relação ao time e é incapaz de criar uma relação de confiança com seus comandados. O chefe é orientado apenas para resultados, dando pouca importância para o indivíduo, por isso não tolera falhas ou atrasos. Entretanto, não consegue lidar bem com os próprios erros.

Esse profissional tem uma liderança firme e autoritária, mantendo toda a equipe sob controle. Há também algumas vantagens nesse tipo de postura, porém os resultados aparecem pontualmente e não são sustentados ao longo do tempo. Alguns indicadores podem confirmar os principais problemas da gestão de um chefe, como taxa de rotatividade e absenteísmo, além dos níveis de satisfação e engajamento dos colaboradores.

O perfil do líder

O líder também mantém o foco nos resultados, mas busca conquistá-los através das pessoas. Desse modo, compartilha conhecimento e informações, orienta, esclarece e, principalmente, certifica-se de que todos entenderam o que deve ser feito. É um excelente comunicador e prefere estar próximo à equipe. Também divide as decisões com o grupo, de modo a reforçar o comprometimento e o senso de pertencimento, pois a integração fortalece o conjunto. O líder tem grande poder de negociação e persuasão, sendo capaz de influenciar seus liderados. A intenção é sempre instigar e convencer, de forma que haja engajamento e real colaboração. Esse gestor demonstra mais humildade, empatia e resiliência, além de equilíbrio emocional, estando apto a administrar emoções e expectativas sem se abalar com as pressões e conflitos do dia a dia.

Como está orientado às pessoas, preocupa-se com o desenvolvimento da equipe, conhece cada profissional, identifica as aptidões, habilidade e deficiências, planeja treinamentos e propõe desafios para preencher lacunas e potencializar o capital humano disponível. Outra caraterística do líder é cuidar do ambiente de trabalho, eliminando comportamentos nocivos, reforçando o respeito às diferenças e a valorização das competências. Além disso, o líder aposta em uma gestão baseada na coerência, alinhando discursos, ações e decisões, de forma imparcial e honesta. Também adota uma atitude positiva, agindo com bom humor, educação, otimismo e empenho.

Esse estilo de liderança no canteiro de obras se mostra mais eficiente no sentido de aproveitar a capacidade e o talento da equipe, conquistando mais eficiência e resultados extraordinários para a empresa. Então, entre ser líder ou chefe, prefira ser líder.

Quer ficar informado sobre o mercado de engenharia e construção? Assine a nossa newsletter e acompanhe nossas novidades!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *