5 porquês: como chegar rápido à raiz de um problema

Velocidade, praticidade e eficiência formam um trio que parece dominar a forma como as pessoas, nos últimos tempos, desejam que suas demandas sejam atendidas. Há alguns anos, imaginar que seria possível andar com um telefone ao bolso e atendê-lo em qualquer lugar, inclusive dentro de um elevador, era uma realidade muito distante, para não dizer impossível.

O avanço da tecnologia, contudo, tornou essa situação hipotética em realidade. O resultado de todo esse avanço é que as pessoas se acostumaram à soluções rápidas, respostas facilmente acessíveis e informações descomplicadas.

Na construção civil essa necessidade é ainda mais urgente. Um gestor de obras precisa controlar simultaneamente diversos processos, tendo que tomar decisões rápidas. Conhecer métodos e técnicas que facilitem o entendimento de situações problemáticas, respondendo com agilidade, eficiência e precisão é, portanto, indispensável.

Você conhece o método dos 5 porquês, que promete chegar facilmente à raiz de um problema? Pois leia o nosso post de hoje e conheça um pouco mais sobre essa técnica. E o melhor: aprenda como aplicá-la na sua gestão de obras.

O que é o método dos 5 porquês

Idealizado por Taiichi Ono, responsável pelo do Sistema de Produção Toyota, o método dos 5 porquês, nada mais é que uma técnica muito utilizada na área de gestão de qualidade. O objetivo básico é chegar às causas de uma determinada situação ou ocorrência a partir de questionamentos.

Porque esse método se aplica a construção civil?

Na verdade, o método dos 5 porquês aplica-se não só à construção civil. Essa técnica se aplica praticamente a qualquer segmento.

Isso porque ela se baseia em um fundamento genérico: uma sequência de perguntas que busca respostas para:

1. os sintomas do problema;

2. as desculpas para a ocorrência da situação;

3. a identificação dos culpados;

4. a detecção da causa;

5. A identificação da causa-raiz.

Como aplicá-lo na gestão de obras

A aplicação dessa técnica para a gestão de obras não requer grandes investimentos ou aptidões excepcionais. O gestor da obra e sua equipe precisam apenas de um treinamento para conhecer a técnica e se habituarem a buscar adequadamente a resposta para cada uma das 5 perguntas, que devem sempre ser realizadas para solucionar um determinado problema.

E ela pode ser facilmente empregada para solucionar problemas no canteiro de obras. Um caso prático da aplicação dessa técnica no canteiro envolve, por exemplo, problemas detectados na qualidade da obra. Veja o exemplo abaixo para entender melhor como aplicar a técnica dos “5 porquês” na construção civil:

Problema: parede com descolamento de placas de revestimento cerâmico

  • POR QUE o revestimento cerâmico está descolando? Porque a placa não aderiu bem à argamassa colante.
  • POR QUE a placa não aderiu bem à argamassa colante? Porque se formou uma fina película sobre a argamassa que prejudicou a aderência do revestimento.
  • POR QUE formou-se essa fina película sobre a argamassa? Porque não se respeitou o tempo máximo que o fabricante recomenda entre a adição de água e a efetiva aplicação da argamassa.
  • POR QUE não se respeitou o tempo estabelecido pelo fabricante? Porque o responsável pelo assentamento desconhecia a existência desse limite máximo de tempo.
  • POR QUE o funcionário desconhecia esse limite máximo? Porque não esteve presente nos treinamentos e o seu gerente não reforçou a necessidade de seguir as instruções do fabricante.

Conseguiu entender a lógica dessa técnica? Mesmo sendo um processo simples e de fácil aplicação, é preciso que o gerente de obras esteja atento a todos os aspectos envolvidos, afinal são muitas informações a administrar e o resultado desta análise pode solucionar rapidamente os problemas encontrados.

Conhecer e aplicar técnicas e métodos que auxiliem a rápida detecção das causas de um determinado problema, muitas vezes, é o caminho mais seguro para uma boa gestão de riscos, controlando perdas e desperdícios na construção civil. Tudo isso impacta, por óbvio, na qualidade final da obra, com repercussões positivas até mesmo sobre a credibilidade e confiança dos clientes para com a empresa.

Quais métodos e técnicas sua empresa tem utilizado para fazer uma boa gestão de obras? Compartilhe conosco suas experiências através dos comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *