Por que todo engenheiro civil deveria ter um smartphone?

Esse título pode ter soado estranho para você, afinal, estamos em 2014 e smartphones cada vez mais fazem parte de nossas vidas e atividades diárias. É certo que o engenheiro civil está entre os profissionais mais adeptos das tecnologias móveis, mas, ainda são poucos os que usufruem delas como ferramentas de trabalho. Contudo, o que falta para isso acontecer e que mudanças positivas isso pode trazer?

Lidando com novas e antigas tecnologias
Na década de 1990 uma das mudanças notáveis foi a troca das pranchetas técnicas por softwares, principalmente para o engenheiro civil. Na época, quem percebeu esse fenômeno e partiu para o computador, hoje sabe muito bem as vantagens que usar um AutoCAD tem sobre o velho esquadro e caneta nanquim.

Nos dias atuais, o espaço ocupado por desktops e notebooks tem sido largamente cedido a tablets e smartphones. Assim, da mesma forma que pranchetas desapareceram da vida do engenheiro civil, é previsto que essas tecnologias móveis sejam incorporadas totalmente às rotinas dos profissionais da indústria da construção.

“Não posso fazer em um smartphone o que eu faço em meu computador”
É certo que desktops e notebooks levam vantagem quando o assunto são especificações técnicas, de hardware. Entretanto, a proposta da utilização de dispositivos móveis no meio profissional – nesse caso, no canteiro de obras – é diferente.

Como a própria nomenclatura sugere, o foco está na mobilidade. Com a tecnologias existentes hoje em dia – tanto de dispositivos, quanto de aplicativos – já é possível colher melhores resultados através da acessibilidade dessa mobilidade, vantagem que é bem nítida no dia a dia de um engenheiro civil.

Hardwares e softwares estão evoluindo em grande velocidade, mas não devem ser encarados como algo que irá substituir os computadores como os conhecemos. O “segredo” está em utilizar ambos os recursos de forma complementar, usufruindo do melhor dos dois mundos.

“Meus colaboradores não têm e nem precisam realmente de smartphones”
A segunda lenda que tenta explicar as razões pelas quais os smartphones ainda não fazem parte da realidade profissional do engenheiro civil é que o cotidiano do canteiro de obras não é o mesmo de um escritório. Contudo, construtoras, empreiteiras e engenheiro civil poderiam realizar trabalhos com muito mais qualidade se obtiverem informações e comunicação de qualidade para a otimização de seus processos – e a tecnologia torna isso possível.

É preciso compreender que o fluxo de informações estratégicas pode ser melhorado com a adoção de recursos tecnológicos no canteiro de obras. Quando o mercado da construção (com sua cadeia de fornecedores, mão-de-obra, investidores, administradores e construtores) consolidar sua maturidade digital, verá que smartphones, tablets e aplicativos de gestão profissional são tão indispensáveis quanto uma calculadora, um AutoCAD ou mesmo uma planilha do Excel.

Estamos no momento certo para investir
É previsto que em pouco tempo a maior parte das empresas atuantes no setor da construção já terão aderido às tecnologias móveis e incorporado-as em suas rotinas. Seja você um profissional ou gestor, esse é o momento certo para antecipar suas decisões e começar a adotar o quanto antes essas tecnologias.

Melhores resultados esperam aqueles que desde já fizerem parte dessa evolução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *