A importância de manter a sinergia entre orçamento e planejamento de obras

Entre os principais desafios na indústria da construção encontram-se a execução de uma obra dentro do tempo planejado e com os recursos disponíveis, evitando desperdícios. Para atingir estes objetivos, é preciso que os engenheiros estejam atentos ao orçamento e planejamento de obras, gerenciando cada etapa de perto.

No entanto, como fazer a gestão dessas duas etapas, para extrair o melhor de cada uma? Antes de responder a esta dúvida comum na área da construção, vamos conversar um pouco sobre  orçamento e planejamento de obras.

Orçamento de obras

O orçamento é uma avaliação feita para prever a receita e a despesa de uma empresa, sendo responsável por definir de antemão o custo de uma obra e o preço a ser cobrado pela construtora para o seu cliente.

Essa etapa tem como objetivo principal fazer com que todos os recursos financeiros necessários para a execução da obra sejam conhecidos, então faça o orçamento mais preciso possível.

Existem três formas de elaborar o orçamento de obras:

Custo unitário básico Esse valor é calculado mensalmente pelos sindicatos de construção civil e permite estimar o custo de uma obra por metro quadrado, levando em conta o tipo de construção e a região do país em que a reforma será feita.

Custo por etapa – O custo da obra é calculado por etapas, como instalação hidráulica, instalação elétrica ou pintura, por exemplo. É determinado na maioria das vezes por estado do país.

Custo por orçamento detalhado – O custo é calculado de forma detalhada, sendo necessário ter em mãos o projeto com a estimativa de todas as quantidades de material necessário para a execução da obra.

Planejamento de obras

O planejamento é um instrumento utilizado para prever as etapas, métodos de construção e recursos necessários para a realização de uma obra. O planejamento discorre junto com a obra e permite que a gestão da obra seja realizada de forma eficaz, pois o atendimento ao planejamento garante que os requerimentos exigidos sejam cumpridos.

O planejamento pode ser realizado em três níveis de prazo:

Longo prazo – Este tipo de planejamento é feito em semestres, com pouco detalhamento. As decisões iniciais devem ser tomadas pelo nível mais alto da empresa e definir questões necessárias antes do início da obra propriamente dita, como a utilização de mão de obra terceirizada ou própria.

Médio prazo – Este planejamento requer mais detalhamentos, como a compra de materiais e equipamentos. Deve ser pensado alguns meses adiante, mas não mais do que um semestre.

Curto prazo – O planejamento de curto prazo deve responder a questões que serão postas em um período de aproximadamente um mês ou menos. É importante a participação dos responsáveis pela obra que trabalham em campo, por saberem sobre a produtividade dos trabalhadores e a necessidade emergenciais do dia a dia.

O orçamento e planejamento de obras devem andar juntos

A melhor forma de lidar com o orçamento e o planejamento de obras é tratar dos dois simultaneamente, pois há detalhes do orçamento dependentes do planejamento e vice-versa.

O profissional responsável pelo orçamento precisa conhecer a estrutura analítica do projeto para saber o que é preciso ser atendido em cada etapa da construção. Outras informações como os custos com equipamentos e mão de obra dependem do planejamento feito com relação à mobilização de equipamentos e turnos adicionais, respectivamente.

É preciso, também, conhecer os índices de produtividade usados para calcular o orçamento, afinal, um índice baixo aumenta o tempo para a realização de uma tarefa. A produtividade estipulada no orçamento também serve de base para o planejamento fazer ajustes necessários no dia a dia do local da construção e estipular metas de produção para os trabalhadores.

Após o orçamento e planejamento de obras, a construtora se mobilizará de forma ordenada  para não haver desperdícios, tanto com materiais quanto com mão de obra, fatores que impactam consideravelmente o custo final do produto, já que na construção civil estes índices são superiores a 20% em comparação a tudo que é produzido.

O orçamento e o planejamento de obras são dois instrumentos fundamentais para o bom andamento da obra durante a sua execução. Se você é da área da construção e quer saber mais de outros assuntos relacionados, curta nossa página no Facebook e acompanhe nosso Blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *