Por que sua construtora precisa se adequar à transformação digital?

A Indústria da Construção sempre foi vista como uma ciência prática. Enquanto designers e arquitetos tentam argumentar sobre os limites do que é fisicamente possível, os líderes da construção simplesmente continuaram a construir pelos caminhos mais eficientes.

A construção foi uma das últimas indústrias a embarcar na transformação digital. Esse cuidado é a maior evidência da praticidade enraizada da indústria. Aqui, não há tempo a perder perseguindo tecnologias que ainda não provaram serem melhores que os métodos existentes.

Contudo, 2017 se mostra como o ponto de inflexão na adoção à transformação digital, incluindo o uso de dispositivos móveis, métricas de desempenho orientadas por dados e uso da nuvem na Indústria da Construção.

E para que você entenda porque sua construtora também deve se adequar a essa nova fase, separamos neste post algumas das principais tecnologias que estão por vir e possuem o potencial de transformar o setor. Acompanhe conosco:

A transformação digital na Construção Civil com o BIM

A transformação digital na Indústria da Construção pode ir muito além de utilizar softwares para gerenciamento de obras. Tem a ver com a criação de novas metodologias e processos que, com apoio tecnológico, têm o potencial de alavancar a indústria e tornar projetos mais enxutos e lucrativos, assim como o uso do BIM nos projetos.

É o que faz o BIM, Building Information Modeling. Muitas vezes confundido com um software, o BIM é uma metodologia pela qual é criado um modelo de informação de um projeto em 3 dimensões, abrangendo toda a informação necessária à sua gestão. E o que é melhor: de maneira colaborativa.

O BIM 3D já é uma realidade para construtoras de todo mundo, mas para melhorar, uma versão em 5 dimensões já está começando a ser testada. O BIM 5D permite que os proprietários e empreiteiros do projeto gerenciem especificações de design espacial em 3D e também obtenham informações críticas sobre custos e agendamentos.

Ao contrário da geração anterior, o BIM 5D possui novos recursos de realidade virtual e aumentada que podem ser entregues por meio de tablets e dispositivos móveis. Quando implementado corretamente e usado consistentemente, o BIM é uma aposta segura para identificar e mitigar os riscos antes que surjam problemas caros.

Colaboração e mobilidade digital baseadas em nuvem

Os dias de gerenciamento manual de dados offline estão chegando ao fim. À medida que os projetos ganham complexidade e as equipes se tornam mais diversas, o uso de uma única plataforma de colaboração baseada em nuvem — e a implantação dessa plataforma em todo o projeto e no campo — se torna fundamental.

Uma solução fácil de usar permite o compartilhamento em tempo real de dados do projeto no escritório ou em qualquer lugar. Também digitaliza os fluxos de trabalho, permitindo que as equipes de projetos administrem rápida e eficientemente tudo, desde a desenvolvimento do projeto até sua execução e entrega.

Em última análise, alavancar uma solução de colaboração permite que os participantes do projeto tomem decisões direcionadas por dados e métricas, o que leva a resultados melhores e mais previsíveis, ao mesmo tempo que promove confiança, transparência e responsabilidade em todas as equipes do projeto.

A Internet das Coisas e a captura de dados em tempo real

Capturar todas as formas de dados do projeto fica mais fácil com o uso da tecnologia, mas é a IoT (Internet of Things, ou Internet das Coisas) que permitirá que equipamentos e recursos “conversem” uns com os outros e sejam capazes de organizar e elencar a grande quantidade de dados obtidos, facilitando as decisões estratégicas.

Com a IoT, os dados podem ser coletados de equipamentos e maquinários e depois transmitidos de volta para uma plataforma de colaboração. Por exemplo, a IoT pode contribuir para a manutenção de equipamentos ao permitir monitorar as horas de uso, tempo de parada, medição de fluidos, temperaturas e pressão, entre outros dados que possam informar quando um equipamento apresenta sinais de que está prestes a falhar, permitindo que uma manutenção preventiva seja realizada antes que isso aconteça.

Ao capturar especificações críticas de desempenho não só dos equipamentos, mas também da mão de obra, a IoT pode ajudar as equipes de projetos a monitorar a produtividade, a qualidade, segurança, o inventário de materiais e o gerenciamento de riscos.

Design e construção com novos e melhores materiais

Novos materiais de construção, como concreto permeável, aerogels e nanomateriais, bem como abordagens de construção inovadoras, como impressão em 3D e módulos pré-montados, podem reduzir os custos e acelerar a construção, ao mesmo tempo em que melhoram a qualidade e a segurança.

Os materiais de construção representam uma indústria global de US $ 1 trilhão e geralmente são responsáveis por mais da metade do custo total dos projetos. Materiais tradicionais como concreto, cimento e asfalto constituem a maior parte dessa demanda.

Mas investir em novos e melhores materiais de construção será necessário devido a várias tendências, tais como:

  • Construção sustentável: existe um impulso imenso para adotar materiais e tecnologias com emissões de carbono mais baixas;
  • Eficiência de custos: dadas as substanciais pressões de custos, é necessária uma mudança estrutural na escolha dos materiais, além de esforços incrementais;
  • Agilidade da cadeia de suprimentos: o transporte de materiais pesados ​​e equipamentos têm implicações fortes sobre os custos e o tempo da cadeia de suprimentos, especialmente porque muitos novos projetos estão localizados em áreas remotas ou de acesso limitado;
  • Maior durabilidade e força: Com o aumento dos custos de capital (a taxa de retorno que uma empresa deve conseguir nos projetos em que investe para manter seu valor de mercado), causado principalmente pela escassez de terrenos – e o consequente aumento nos preços dos mesmos – em algumas áreas chaves do país, tem aumentado a importância da vida comercial dos empreendimentos, se tornado cada vez mais uma característica para trazer esse valor à empresa.
  • Construção fora do local: a montagem de materiais mais leves e fáceis de manusear fora do canteiro pode melhorar a eficiência do projeto, conciliar com as restrições de espaço no local e criar condições para que as equipes melhorem suas habilidades.

Obviamente, a transformação digital na Indústria da Construção não é algo que ocorrerá da noite para o dia. Para alcançar todo o potencial da digitalização, os stakeholders do setor precisam comprar o impacto positivo que a digitalização pode ter no gerenciamento da crescente complexidade e risco dos projetos.

A indústria também precisará se concentrar mais nos resultados e nos retornos. E, o mais importante, as organizações precisarão se tornar mais habilitadas na gestão da mudança.

E você, pronto para começar a transformação digital? Já aplica alguma dessas tecnologias nos seus projetos? Comente abaixo e compartilhe sua experiência conosco e com nossos demais leitores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *