Gestão do canteiro de obras como diferencial competitivo em 2016

Após um crescimento de impressionantes 74,25% nos últimos 20 anos (de 1994 a 2013), a construção civil brasileira vive anos difíceis, com crescimento entre 0% e 0,5% em 2014 e -7% em 2015, o que explica a previsão de mais de 500 mil trabalhadores demitidos do setor neste ano. Aparentemente, os números não são mesmo muito animadores, mas tenha calma.

É em meio ao caos que nascem as grandes ideias

No epicentro desse furacão, que mistura aumento de custos e desaparecimento de clientes, os gestores de obras e CEOs de construtoras precisam compreender que a história de sucesso dos grandes players do mercado, em geral, têm seu start com o aproveitamento de uma oportunidade em meio a uma crise. No caso da construção civil, implementar um modelo eficiente de gestão do canteiro de obras, que reduza custos sem impactar a qualidade, é fundamental para adquirir diferencial competitivo, não somente para manter o ritmo de vendas, mas para aumentar sua fatia de participação no mercado, engolindo a concorrência enquanto ela balança diante da crise.

As próximas linhas vão mostrar que saber enxergar luz onde seus concorrentes só veem escuridão é o grande segredo das empresas de sucesso!

“Faça o que sempre fez e continuará obtendo o que sempre obteve”

A maioria das construtoras demitem funcionários quando os compradores desaparecem, suspendem projetos e colocam ativos à venda. O que acontece é que alguns empresários de ousadia e visão de negócios aproveitam o desespero da concorrência para andar no caminho inverso: em vez de correrem das chamas, caminham em sua direção para ultrapassá-las. Investem em pontos estratégicos, o que amplia o diferencial competitivo da construtora, reduzindo custos de forma sustentável, sem encolher atividade produtiva. O resultado? Aumento na margem de lucro, que será reinvestido para dar continuidade ao ciclo de expansão.

Alta tecnologia para canteiro de obras: o diferencial competitivo em 2016

A construção civil é abundante na geração de informações, já que um único projeto envolve centenas de documentos. Além disso, o combate à baixa produtividade e a perspectiva de aumento da eficiência no uso dos materiais são outros fatores que também dependem do estabelecimento de controles automatizados, que resultam, inevitavelmente, em um diferencial competitivo que pode ser o limiar entre o sucesso e o fracasso no setor.

Como exemplo, vale a pena destacar que, por meio da implementação de ferramentas tecnológicas, algumas construtoras já conseguiram reduzir o desperdício de materiais na obra em até 50%. A mobilidade no canteiro de obras resulta em:

  •     Otimização de tempo e de atividades

Liberação de profissionais para se dedicarem às atividades que agregam valor à organização, aumentando o ROI de sua folha de pagamento.

  • Redução do investimento em tecnologia

Os melhores sistemas para construção civil do mercado são oferecidos via SaaS, ou seja, você paga uma mensalidade só pelo número de licenças utilizadas, o que reduz gastos e otimiza o investimento. Todos os recursos de hardware e software são oferecidos pelo fornecedor, bastando municiar seus funcionários com tablets ou smartphones para acesso e gestão do canteiro de obras de forma inteligente.

  • Ganho de agilidade

Etapas da obra podem ser gerenciadas de qualquer lugar; assim, se você administra canteiros espalhados por diversas localidades, é possível estar em uma obra e aprovar  processos de outro canteiro.

Saber exatamente onde estão seus subordinados e acompanhar através de dispositivos móveis o andamento de uma vistoria são outros benefícios trazidos pela mobilidade, o que reduz o índice de erros, retrabalhos, aumenta a produtividade individual e coletiva, além de fortalecer os mecanismos de controle de qualidade da obra.

  • Compartilhamento de dados

Gaps de comunicação são para quem ainda trabalha com pranchetas, correndo de um lado para outro em uma obra. O acesso fácil aos mesmos laudos, pareceres, relatórios de inspeção e indicadores unificam as informações por parte de arquitetos, engenheiros e mestres de obras.

  • Fortalecimento de controles

O desperdício dentro de um canteiro de obras pode representar até 25% de todo projeto. A baixa produtividade dos colaboradores, por falta de controles eficientes e objetivos, também prejudica os números finais da construtora. Para ambas as situações, trazer a tecnologia para a construção civil é a solução, já que a gestão dos processos pode ser feita com extremo rigor por meio de softwares.

A apuração da produtividade também pode ser monitorada a distância e visualizada em tempo real, todo o andamento das etapas da obra.

  • Mais qualificação e melhores resultados

Sistemas para canteiro de obras também facilitam a implementação de treinamentos, reduzindo acidentes (segundo a OIT, 17% dos acidentes fatais ocorrem na construção civil) e melhorando sua autoestima e perspectivas de crescimento no setor. Esse esforço resulta em redução dos índices de turnover (em média, 5,51% a.m. no país) e absenteísmo (3,36%, a.m., em média), além de assegurar maior qualidade nas atividades, impactando consideravelmente na qualidade final do produto.

Sua construtora já está preparada para 2016? Conte-nos sua experiência no assunto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *