Ferramentas para o engenheiro civil: 5 itens indispensáveis numa obra

Em um mercado cada vez mais competitivo, saber as melhores ferramentas usadas por um engenheiro civil é crucial, principalmente no início de carreira. 

Bons instrumentos permitem que os profissionais realizem suas tarefas com mais rapidez e eficiência, gerando melhores resultados.

Atualmente, o setor da construção civil vem buscando modernizar seus processos construtivos, adotando soluções tecnológicas e inovadoras. Por isso, além de algumas ferramentas tradicionais, que ainda são indispensáveis, surgiram novas soluções, como softwares e programas.

Elas permitem que tarefas sejam automatizadas, fazendo com que os engenheiros possam focar na execução de processos mais complexos. Além disso, as ferramentas tecnológicas apresentam funcionalidades que dão mais precisão, segurança, eficiência e agilidade na realização das tarefas.

Conhecer e saber como utilizar as ferramentas usadas por um engenheiro civil é a melhor maneira para se destacar no mercado. Por isso, além de ter boas qualificações e habilidades, é preciso se manter atualizado nas novas tecnologias.

Qual a importância das ferramentas usadas por um engenheiro civil?

O avanço das inovações tecnológicas mudou e continua mudando o hábito como os profissionais exercem suas funções. O uso da tecnologia se tornou indispensável em quase todos os setores do mercado, auxiliando na otimização das tarefas, desde as mais simples às mais complexas.

Para a construção civil, a tecnologia trouxe soluções para  aumentar os resultados, e aumentar a produtividade. A tecnologia incorporada nas ferramentas usadas por um engenheiro civil possibilita maior controle e eficiência em diversas etapas, como a gestão e o pós-obra.

Por isso, se manter atualizado sobre as inovações tecnológicas é garantir a busca pela melhoria contínua. Isso permite que o engenheiro tenha um diferencial perante ao mercado, mostrando que se preocupa em entregar os melhores resultados.

Com prazos cada vez mais apertados, contar com ferramentas que automatizam e agilizam processos é uma maneira de garantir a entrega da obra dentro do cronograma. Além disso, as soluções tecnológicas, como softwares de gestão, permitem um maior controle das frentes construtivas, reduzindo os desperdícios.

Como escolher qual ferramenta utilizar?

Com tantas opções de ferramentas usadas por um engenheiro civil, é preciso saber escolher as mais adequadas para cada empresa, obra ou situação específica. Conhecer as dificuldades e problemas que se busca resolver é o primeiro passo para definir a solução ideal.

Com isso, o engenheiro consegue fazer um levantamento de todas as ferramentas que serão necessárias para garantir os melhores resultados. Cada instrumento possui funcionalidades e finalidades diferentes, sejam elas para garantir a qualidade, segurança ou maior produtividade.

Sabendo quais serão necessárias, é hora de escolher quais devem ser utilizadas. Isso porque as ferramentas usadas por um engenheiro civil, sejam elas simples trenas ou até softwares especializados, possuem diferentes marcas, modelos e preços. Assim, é preciso se atentar aos diferenciais, custo benefício e qualidade de cada uma.

Uma das características que deve ser avaliada é a usabilidade, pois a qualidade do instrumento determina se é de fácil uso ou não. Por isso, ferramentas que apresentam mobilidade como um diferencial são boas escolhas, principalmente se forem utilizadas no canteiro de obras.

Por último, vale também procurar por ferramentas que sejam bem avaliadas, seja por outros profissionais ou mesmo empresas. Isso torna a escolha muito mais fácil e bem embasada, já que uma com boas recomendações as chances de funcionar são ainda maiores.

5 ferramentas indispensáveis ao engenheiro civil

Existe uma vasta gama de ferramentas usadas por um engenheiro civil nos escritórios e canteiro de obras. Abaixo listamos 5 dos que estão, ou deveriam estar, presentes em todas as empresas da construção civil. Confira:

1. Tabela SINAPI

A tabela SINAPI (Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil) é disponibilizada e atualizada mensalmente pela Caixa Econômica Federal. Ela apresenta preços e composições dos mais variados serviços e materiais de construção civil.

Por isso, essa tabela serve como referência confiável na hora de realizar um orçamento de obras. Assim, os profissionais conseguem ter mais assertividade na hora de mensurar os custos de uma construção, gerando um orçamento mais realista.

2. Métricas de produtividade

Saber mensurar questões como a produtividade e a qualidade dos serviços é uma tarefa complexa. Por isso, existem métricas como número de retrabalhos e não conformidadesque, através de indicadores, ajudam os profissionais a ter controle sobre os níveis de qualidade e produtividade nas diferentes etapas.

Assim, os gestores conseguem encontrar os processos menos produtivos ou com mais problemas. Vale lembrar que as ferramentas geralmente disponibilizam indicadores e fichas de verificação configuráveis, permitindo a adaptação para todos os serviços e obras conforme a necessidade da empresa.

3. BIM

A tecnologia BIM (Modelagem de Informação da Construção), muito utilizada nos projetos construtivos, disponibiliza uma gama de funcionalidades que torna as informações mais interativas, densas e integradas. 

Através dessa ferramenta, é possível visualizar o projeto em 3D, realizar testes e atribuir informações para cada detalhe construtivo.

Dessa forma, os projetos deixam de ser apenas desenhos e se tornam modelos virtuais carregados de informações técnicas. Isso facilita nos processos de orçamento, na melhor compatibilização entre os projetos e até prever problemas.

4. Dispositivos móveis

Os dispositivos móveis se tornaram indispensáveis no cotidiano de um engenheiro. Isso porque, com a mobilidade, eles permitem uma comunicação remota e instantânea, o uso de softwares especializados e um registro mais detalhado de fotos, vídeos e áudios.

Dessa forma, o engenheiro consegue acompanhar de maneira mais eficiente as frentes construtivas. Além disso, é possível tomar decisões de forma mais rápida e enriquecer as informações coletadas no canteiro de obras.

5. Software de gestão de obras

Um software de gestão de obras, como o Mobuss Construção, oferece soluções especializadas para as mais diversas etapas construtivas. Com auxílio da mobilidade, ele permite um melhor controle, contando com 10 módulos que otimizam processos do projeto ao pós obra.

A implementação do software permite uma melhor coleta, organização, análise e integração dos dados, tanto de projetos quanto do canteiro. Além disso, ele automatiza processos, dando maior agilidade para a construção e reduzindo desperdícios.

São várias as ferramentas usadas por um engenheiro civil que existem no mercado, cada uma com sua função e finalidade. Por isso, os profissionais precisam se manter informados, tanto em notícias do setor de construção quanto em inovações tecnológicas. 

Além disso, vale ficar atento aos treinamentos e cursos disponibilizados frequentemente. Eles permitem que os profissionais ampliem seus conhecimentos e consigam aproveitar ao máximo os instrumentos disponíveis.

Agora você já sabe quais as principais ferramentas usadas por um engenheiro civil  e como elas são importantes. Venha conhecer também os materiais ricos disponibilizados pelo Mobuss Construção clicando aqui, para você ficar atualizado sobre o mercado da construção civil

Leave a Reply

Your email address will not be published.