5 principais tipos de sistemas construtivos


Está sem tempo para ler? Aperte o play abaixo e ouça o artigo sobre Sistemas Construtivos em áudio!

Existem diferentes sistemas construtivos e cada um possui vantagens e desvantagens, o que gera dúvidas na hora de escolher qual utilizar. Por isso, para começar uma nova obra é preciso conhecer os tipos principais para garantir que a tomada de decisão seja mais assertiva. 

Essa definição inicial impacta diretamente no sucesso e nos lucros do empreendimento. Alguns sistemas podem ser aplicados em diferentes tipos de construções, outros funcionam em casos específicos. Assim, os profissionais devem entender quando e como utilizar esses métodos para obter melhores resultados.

Hoje em dia, com a industrialização e avanços tecnológicos, existem modelos cada vez mais produtivos, sustentáveis e economicamente viáveis. Parte do setor da construção ainda opta por processos convencionais em suas obras, seja por falta de informação ou por resistência em adotar as mudanças. 

Por isso, vamos conhecer abaixo alguns dos principais sistemas construtivos, tradicionais e modernos, para entender suas diferenças. Assim, é possível ser mais consciente e assertivo na hora de escolher o tipo ideal para cada projeto. Acompanhe! 

O que são sistemas construtivos?

Sistemas construtivos são um conjunto de técnicas, tecnologias e métodos empregados na construção de edificações. Ou seja, eles quem ditam de que forma e com quais materiais serão utilizados em uma obra.

Essa escolha vai guiar o projeto e a construção. Cada tipo apresenta metodologias e características específicas, gerando assim resultados distintos que são mais ou menos viáveis para um determinado projeto.

Vale ressaltar que existem sistemas construtivos que utilizam técnicas ou materiais parecidos. Porém, possuem complexidades diferentes, alguns mais robustos e que necessitam de um conhecimento maior e outros mais simples. Mas novos processos surgem a todo momento e viram tendências para engenharia civil.

Quais os sistemas construtivos mais conhecidos?

Para saber qual escolher na hora de iniciar um empreendimento é preciso conhecer os métodos mais utilizados. Por isso, confira abaixo 5 tipos de sistemas na construção civil:

1 – Alvenaria convencional

A alvenaria convencional é um dos modelos construtivos mais conhecidos e utilizados. Consiste na junção de elementos estruturais de concreto armado moldado in loco e uma vedação com blocos cerâmicos. Nesse sistema, as lajes, vigas e pilares resistem aos esforços enquanto as paredes servem apenas de fechamento para a edificação.

Por ser um sistema difundido e antigo, uma das vantagens é a facilidade e qualidade da mão de obra. Além disso, os materiais são de fácil acesso. No entanto, tem como desvantagem o desperdício elevado e também uma necessidade de um grande número de profissionais na execução.

2 – Alvenaria estrutural

Aqui, os elementos estruturais, geralmente blocos de concreto, também servem de vedação. Ou seja, as próprias paredes suportam as cargas da edificação e fazem seu fechamento.

Podemos citar como benefícios da alvenaria estrutural a maior rapidez de execução, com necessidade de menos colaboradores. Porém, esse tipo de alvenaria exige trabalhadores mais qualificados e possui menor flexibilidade arquitetônica nos projetos. Além disso, depois de construídas, a maior parte das paredes não pode ser removida ou modificada.

3 – Parede de concreto

Assim como no processo anterior, as paredes de concreto funcionam como elemento estrutural e de vedação. Nesse sistema tudo é construído utilizando concreto armado moldado in loco com auxílio de fôrmas especiais.

O principal benefício é a produtividade na construção, possibilitando prazos de entrega mais curtos. No entanto, esse sistema necessita de especialistas mais qualificados e concreto de maior qualidade.

4 – Steel frame

O steel frame, apesar de amplamente conhecido mundo afora, começou a ser mais utilizado recentemente no Brasil. Esse processo de construção a seco consiste em uma estrutura de aço leve e com fechamento feito, geralmente, com placas de gesso ou cimentícias. 

Sua principal garantia é a rapidez construtiva e o desperdício mínimo. Além disso, ele é considerado mais sustentável. Por outro lado as empresas que trabalham com o steel frame tem custo mais elevado de trabalho já que ele necessita de profissionais especializados.

5 – Concreto pré moldado

Neste tipo de sistema, os elementos estruturais, como lajes e pilares de concreto protendido ou armado, são produzidos e moldados fora do local da obra. Com isso, no canteiro só é necessária a montagem das estruturas conforme o projeto.

Uma das principais utilidades é o alto controle de produção, garantindo peças padronizadas e com maior qualidade. Além disso, esses pré moldados conseguem atingir resistências elevadas. As desvantagens se dão principalmente pela questão do transporte, necessidade de equipamentos especiais e mão de obra treinada para a montagem.

Como escolher o melhor sistema construtivo para sua obra?

Existem também outros tipos de sistemas construtivos modernos que estão ganhando força, como o de impressão 3D e com contêineres. Mas no Brasil eles ainda não são tão viáveis devido à falta de equipamentos e de colaboradores que realizem os serviços.

Conhecendo os principais modelos, a questão é escolher o mais adequado para cada tipo de obra. Para isso, os profissionais devem avaliar o quanto a empresa pode investir. Além disso, é preciso saber quais os prazos de entrega pretendidos e a disponibilidade de materiais e mão de obra na região da construção.

Uma escolha adequada precisa passar pela avaliação dos prós e contras. Dependendo do empreendimento, as vantagens de um processo podem compensar suas desvantagens. Assim, o especialista pode fazer uma tomada de decisões mais assertiva, gerando resultados melhores e mais previsíveis. 
Agora você já sabe os principais tipos de sistemas construtivos e como escolher o ideal para seu projeto. Acompanhe os posts no blog para continuar lendo mais conteúdos como esse!

Leave a Reply

Your email address will not be published.