Fique atento à eficiência no canteiro de obras

O gestor do canteiro de obras vive o desafio diário de zelar pela execução dos serviços, controlar custos, administrar recursos humanos e materiais, bem como manter rigidamente o cronograma de trabalho. Ele é o maestro de uma orquestra na qual, além de execução do concerto, acontece simultaneamente a afinação dos instrumentos – tudo sem a plateia se dar conta.

Como garantir a produtividade no canteiro? Quais elementos devem merecer atenção especial? Como detectar sinais de que os níveis de eficiência começam a cair? A resposta para todas essas perguntas depende de um fator básico: organização. Para atingir metas e obter resultados satisfatórios, o gestor necessita ter acesso ágil a informações acerca de todos os aspectos obra. O primeiro alerta sobre perda de eficiência surge quando os dados não estão disponíveis com rapidez. A saída é investir na automação.

A gestão da obra deve ser baseada no conceito de obra planejada. Ele busca manter sob rígido acompanhamento itens como controle de itens como custo de materiais, indicadores de desperdício e índice de retrabalho. O uso de sistemas inteligentes e aplicativos confere agilidade na tomada de decisões.

Outro ponto que indica perda de eficiência no canteiro é o uso excessivo de papel. Além de ambientalmente sustentável e economicamente vantajosa, a transposição de informações para o meio digital, permitindo que a equipe técnica tenha todos os registros da obra disponíveis no tablet ou ao alcance do smartphone – tudo em tempo real. Há economia de recursos financeiros e de mão de obra, pois se elimina a necessidade de pessoal para sistematização e arquivamento de documentos, relatórios e plantas.

Sinais da necessidade de maior eficiência

Tido como um dos pontos críticos na obra, o gerenciamento dos níveis de estoque requer monitoramento em tempo real. A falta de materiais acarretando a atraso de processos nos canteiros é um dos sinais de que falta otimização no gerenciamento. De posse de informações consolidadas, o gestor tem a oportunidade de ajustar e reorientar os trabalhos no canteiro, redefinir prioridades, obter ganhos em logística, bem como definir com baixíssima margem de erro as necessidades do canteiro.

A automação do canteiro permite ganho de produtividade em todas as áreas – da organização de equipes à atualização do orçamento executivo; da redução de perdas à readequação de prazos e metas. O software de informação ou aplicativo funciona como uma espécie de “antecipador de problemas”, permitindo que contratempos sejam preventivamente solucionados.

Perda de informações e dados que não se cruzam também são um indicativo da necessidade de implementação de softwares de gerenciamento para maior eficiência na obra. Mais que informação rápida, o responsável pelo gerenciamento das informações da obra necessita de dado confiável. Um dado com erro, por menos relevante que seja, impacta negativamente os índices de eficiência e compromete a tomada de decisão. Os sistemas mais modernos já fazem o cruzamento de informações e identificam registros incorretos.

Se o retrabalho é recorrente e os custos com mão de obra são cada vez maiores, então é o momento de considerar o uso de aplicativos que tragam mobilidade aos canteiros. Os sistemas inteligentes eliminaram as mesas e pranchetas. A introdução de modernos métodos construtivos nos canteiros é um processo irreversível. Estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), citado pela Revista Grandes Construções (edição 25), indica que a automação pode reduzir em até 50% o custo de mão de obra.

Queda substancial também pode ser obtida no índice horas/mês de retrabalho. Um bom software tem condições de fazer o número cair pela metade. Em um momento econômico instável e em um mercado caracterizado pela forte concorrência, qualquer corte de custo representa vantagem em termos de competitividade e eficiência.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *