Novas tendências para os projetos de engenharia civil

Não é nenhum segredo que a tecnologia está em constante evolução e causando mudanças rápidas na gestão de muitas indústrias diferentes. Essas mudanças trazem benefícios que vão desde do aumento na eficiência das operações no dia a dia até a possibilidade de fabricar novos e avançados produtos. E nos projetos de engenharia civil não é diferente.

Considerando os novos cenários, são as empresas que têm a capacidade de se adaptar e adotar mudanças tecnológicas que sobreviverão ao clima comercial altamente competitivo da Indústria da Construção.

E para que você conheça quais são essas novas tecnologias, separamos abaixo uma lista com algumas das tendências que vão moldar o futuro dos projetos de engenharia. Acompanhe!

O uso de ferramentas como o BIM ganhará força

O Building Information Modeling, ou em português Modelagem da Informação da Construção, é um processo que envolve a criação e o gerenciamento de representações digitais de características físicas e funcionais dos locais, de maneira colaborativa.

O BIM toma o formato de um modelo 3D que suporta a tomada de decisões em relação aos projetos de engenharia civil. Ele é feito usando-se de ferramentas de software que fornecem representações virtuais de tudo o que está sendo construído.

O conceito básico de BIM é que os dados criados são capturados em uma forma e formato que podem ser usados diretamente como um recurso para outros fins. Por exemplo, as portas são criadas de tal forma no modelo que um cronograma da sua montagem no projeto pode ser produzido diretamente dele.

Com o BIM, é possível reduzir o número de etapas no processo de design e aumentar a eficiência do gerenciamento de obras.

Métodos colaborativos de construção serão mais utilizados

O sistema projeto-oferta-construção estão com os dias contadose as abordagens colaborativas estão, pouco a pouco, se tornando mais comuns nos projetos de engenharia, afirma uma das gigantes da construção.

Além do BIM, as entregas integradas de projetos é um dos métodos mais citados que está alterando a indústria e provavelmente ganhará terreno no próximo ano. Imagine uma situação em que não haja comunicação eficiente entre os gestores de projeto com os gestores funcionais do canteiro de obra sobre o uso dos recursos.

Uma boa comunicação é parte fundamental em um projeto de engenharia civil, e é isso que esses métodos permitem: maior colaboração entre as equipes, levando maior qualidade e agilidade aos processos e consequentemente ao produto final.

A construção modular terá mais adesão no mercado

A construção modular, também conhecida como pré-fabricada, não é uma novidade na engenharia civil. Entretanto, devido a sua evolução constante e aos seus diversos benefícios, tais como aumento da qualidade e redução do tempo de obra, ela pode ser um grande diferencial dentro do canteiro.

Isso porque ela reduz o tempo de projeto, a mão de obra empregada e o desperdício com materiais, eliminando a geração de entulhos,  promovendo maior organização no canteiro, tornando-se uma alternativa interessante aos métodos tradicionais de construção.

Com a busca cada vez maior por aumentar a produtividade nos canteiros e reduzir custos, faz sentido que a construção modular ganhe força no mercado, bem como outros métodos eficazes, como a construção a seco.

A Internet das Coisas (IoT) chegará para ficar

A Internet das Coisas (Internet of Things — IoT) vai tornar possível realizar atividades que otimizam o gerenciamento de obras, como:

  • Acompanhamento preciso da obra;
  • Rastreamento de equipamentos e materiais;
  • Uso de tecnologias “vestíveis” (tecnologias acopladas à roupas e outros itens “vestíveis, como os smart watches);
  • Coleta de dados diversos e em tempo real, direto do canteiro
  • Entre muitos outros.

A Internet das Coisas será usada como ferramenta para tornar possível diversas tendências novas na construção. Como por exemplo a automação residencial, que é o processo de automatizar pequenas rotinas dentro de casa, como o acendimento de luzes e portas inteligentes que abrem sozinhas.

Além da automação em casa, a IoT terá um forte papel na robótica para construção de edificações, aproximando a Indústria da Construção de práticas já realizadas em outros setores. Outro exemplo da aplicação de IoT é o gerenciamento de frotas por meio de sensores ligados aos veículos que indicam seu percurso, nível de carregamento e informam ao motorista as melhores rotas de entrega, o que gera ganhos com a gestão de insumos.

Outra forte tendência está na combinação da IoT com o Business Intelligence, passando o que está sendo coletado por meio da IoT para um repositório central com armazenamento na nuvem que permita tomar decisões inteligentes com base nas informações geradas.

Todas essas possibilidades serão uma maneira de aumentar a eficiência nos processos e reduzir a falha gerada por atividades geridas manualmente.

Realidade virtual e realidade aumentada apoiarão os projetos de engenharia civil

O uso das tecnologias de realidade aumentada (AR) e virtual (VR) já vem aparecendo no mercado. Seguindo a tendência de aumento da colaboração nos projetos, o uso dessas tecnologias chega de uma forma natural, permitindo que as partes interessadas de um projeto tenham maior integração antes mesmo que a construção seja iniciada.

Elas também permitem a detecção de erros antes que eles ocorram, evitando retrabalho no canteiro de obras, algo que pode acabar com custos caros aos projetos de engenharia civil. Também é possível que gestores de obras vejam as condições do canteiro sem necessariamente ter que visitá-lo, diminuindo o risco de acidentes em locais que ainda não apresentam toda a infraestrutura de segurança pronta.

A construção sustentável será cada dia mais cobrada

A tecnologia sustentável também continuará a crescer em 2018. A necessidade de inovação e crescimento nas áreas de engenharia de energia eólica, engenharia de recursos hídricos e engenharia solar continuarão aumentando, já que as empresas e os governos continuam buscando maneiras mais sustentáveis ​​de adquirir e usar energia.

O problema que representa a diminuição dos recursos e a necessidade de um consumo equilibrado está se tornando cada vez mais evidente — e a engenharia está tomando conhecimento disso. A Indústria da Construção vem buscando maneiras de tornar suas práticas mais sustentáveis ​​e está procurando por métodos que se preocupem com o desenvolvimento ecológico.

Como por exemplo, o uso de concreto permeável, que diminui as ilhas de calor nos ambientes urbanos e a reutilização de materiais, com o reaproveitamento dos resíduos de demolição em novas edificações.

Drones serão usados para mapeamento avançado

A engenharia civil está buscando aplicações de veículos aéreos não tripulados (drones), que podem auxiliar na digitalização e mapeamento de locais de trabalho, bem como na captura de fotos e vídeos para fins promocionais, como lançamento dos empreendimentos.

Os drones representam frequentemente uma medida de economia de custos para as empresas que precisam de mapeamento aéreo, pois dispensam toda uma estrutura em contratações e despesas altíssimas com combustível no caso de um avião ou helicóptero.

Eles também são fáceis de programar para voar várias vezes em torno do mesmo local de trabalho, o que significa que, no futuro, as empresas poderão capturar uma variedade de imagens e vídeos enquanto o projeto estiver sendo concluído — o que permitirá que gerenciem melhor o progresso do projeto.

Podem  contribuir também para a engenharia civil por meio do uso de photoscanning, um processo de captura de imagens que usa fotos (em vez de lasers). A captura de fotos não capta apenas a superfície do solo, mas também edifícios, plantas, bancadas e outras estruturas próximas, e as representa em três dimensões. Com esses recursos avançados, os drones permitirão representações 3D mais precisas e mais interativas de projetos de engenharia civil.

Isso garante o melhor acompanhamento pelo cliente do andamento do projeto. Além disso, as informações coletadas pelos drones poderão ser usadas para auxiliar na gestão de obras, fornecendo dados em tempo real importantes para o monitoramento das etapas de construção.

Com as novas tecnologias que surgem constantemente para e revolucionar as práticas tradicionais. Espera-se que essas principais tendências para projetos de engenharia civil agitem novamente o setor em 2018, e sejam cada vez mais incorporadas por empresas e engenheiros do setor.

E você, o que acha dessas mudanças? Já tem notado a implementação de alguma delas no mercado? Qual é a sua percepção? Comente abaixo e compartilhe conosco e com nossos leitores!

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *