Como reduzir acidentes no canteiro de obras através do gerenciamento

Segurança é a palavra de ordem no universo da construção civil. Qualquer descuido ou procedimento inadequado pode gerar acidentes no canteiro de obras e colocar em risco não apenas a integridade física dos envolvidos no processo, mas toda a obra. 

Muitos dos serviços realizados em um obra são de natureza perigosa, como o trabalho em alturas e o uso de equipamentos e matérias-primas de risco elevado. Isso faz com que a construção civil seja um dos segmentos brasileiros que mais registra casos de acidentes laborais.

Apesar do Brasil ter diminuído em 55% o número de acidentes no canteiro de obras de 2012 a 2017, a quantidade ainda é preocupante. As principais causas são impactos com objetos, quedas, choques elétricos, soterramento ou desmoronamento.

É preciso levar em conta o perigo inerente dos trabalhos realizados no canteiro de obras. Mas isso não pode ser utilizado como uma desculpa para a sua ocorrência, já que existem diversas ações para a prevenção de acidentes no canteiro de obras. 

O gerenciamento, aliado ao uso de tecnologias, é um método que potencializa e facilita a adoção de medidas preventivas como:

 1. Equipamentos de Proteção Individual (EPIs)

Os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) servem para garantir a segurança dos trabalhadores de uma obra e diminuir o risco de acidentes. A empresa responsável deve exigir e fiscalizar a utilização dos equipamentos pelos profissionais.

A NR 6 trata especificamente de EPIs e estabelece regras claras que devem ser cumpridas por empresas de todos os segmentos. E define, por exemplo, que estas devem fornecer equipamentos, de forma gratuita, em plenas condições de funcionamento e conservação.

Cada tipo de obra requer um conjunto específico de EPIs, que são indicados conforme os riscos envolvidos no projeto. Além disso, os funcionários também devem ser treinados para a utilização correta dos equipamentos.

Manter um bom controle de uso de EPIs é fundamental, bem como realizar a manutenção dos equipamentos, mantendo-os sempre disponíveis e em bom estado para os funcionários. Assim, diversos incidentes são evitados e a NR 6 é cumprida.

Mas manter este controle dos EPIs pode se tornar um problema em obras de grande porte, já que muitos serviços e trabalhadores estão envolvidos – por vezes, ao mesmo tempo.  Desse modo, o risco de acidentes no canteiro de obras nesses empreendimentos se torna maior.

A ficha de EPI, destinada, entre outras coisas, a manter o controle da retirada e devolução dos equipamentos, é um dos modos de fazer sua gestão. Mas manter um fluxo correto de utilização da ficha pode ser trabalhoso; principalmente, quando não há o uso da tecnologia.

Com a utilização de softwares de gestão, é possível ter um acesso imediato ao controle do recebimento, retirada e devolução de EPIs, bem como à validade ou prazo de manutenção.

2. Manutenção periódica dos equipamentos

Não basta fornecer um conjunto completo de EPIs aos funcionários da obra e acompanhar seu uso. É preciso manter os equipamentos em bom estado, fazendo vistorias periódicas. Os EPIs desgastados ou com problemas devem ser consertados ou substituídos, para que não ocasionem acidentes.

Além dos EPIs, os equipamentos e maquinários de uso coletivo também precisam ser bem cuidados e passar por manutenções quando necessário. Isso porque previnem, muitas vezes, a quebra dos mesmos; e evitam atrasos no cronograma e acidentes por conta de falhas no maquinário.

Os custos de realizar uma manutenção preventiva costumam ser menores do que substituir o maquinário, caso esse estrague.

3. Controle de acesso

Manter um controle de acesso à obra é essencial, pois apenas os profissionais capacitados e treinados devem transitar pela as áreas do canteiro. Além de evitar acidentes, como a queda de materiais em pessoas desprotegidas, o acompanhamento melhora a segurança da obra.

A tecnologia auxilia nesse controle, fazendo registros precisos e atualizados de todos que circulam pelo canteiro. Assim, a gestão se torna mais eficiente, minimizando erros por comunicação ou falta de informações. 

4. Sinalização

A sinalização adequada do local da obra e dos arredores também garante a segurança das pessoas. Placas, adesivos e outros sinalizadores evitam acidentes nas obras e no entorno.

A atenção deve ser redobrada para áreas onde há perigo de queda ou possível contato com produtos químicos. É preciso sinalizá-las bem, com indicativos de fácil entendimento e, de preferência, coloridos.

5. Limpeza e organização

Manter a obra organizada e limpa também ajuda a evitar acidentes no canteiro de obras. Não se deve deixar acumular, no canteiro, fragmentos de materiais de construção, papéis, sacos plásticos e outros objetos desnecessários para o andamento das atividades.

Não deixar o chão molhado ou com restos de materiais, como tintas ou óleos, também é crucial; pois isso pode fazer com que os funcionários ou outras pessoas caiam.

A limpeza do local deve ser feita de maneira periódica – no mínimo, diariamente -, seja por alguém que trabalhe na obra ou por uma empresa especializada.

6. Instalações elétricas

As instalações elétricas devem ser acessadas por um profissional devidamente qualificado, somente. Além disso, toda a fiação da obra deve estar em perfeitas condições para evitar curtos, explosões e outros acidentes.

O quadro de força, tomada, fios e interruptores, por exemplo, devem ter proteção contra chuva, raios solares e ventania, garantindo a segurança dos funcionários.

Caso incida uma chuva forte, com trovoadas e queda de raios, é recomendado interromper os trabalhos para evitar acidentes.

7. Direção do vento

Recomenda-se que os recortes em paredes ou revestimentos da obra sejam feitos com o vento a favor do operário. Isso diminui a possibilidade de algum estilhaço ou resíduo atingir o trabalhador. Também é melhor que o processo seja feito em locais úmidos para evitar a formação de poeira.

8. Equipe devidamente capacitada

Não adianta estar em dia com todas as normas de segurança, se a obra ainda não conta com uma equipe qualificada e responsável, que entende o peso da responsabilidade de seguir as medidas preventivas.

Ao contratar uma empresa terceirizada, dê preferência àquelas cujas equipes passam por treinamentos e realizam outras obras sem ocorrências de acidentes laborais. 

Aos profissionais contratados, é necessário verificar se sabem da importância de aderir às normas de segurança e possuem referências de obras nas quais já trabalharam.

Além disso, toda equipe deve receber um treinamento adequado antes de iniciar qualquer atividade no canteiro de obras. Assim, os funcionários ficam a par dos riscos e de como se proteger corretamente.

O gerenciamento e a tecnologia oferecem muitas vantagens nos canteiros. O potencial dos recursos tecnológicos para otimizar os procedimentos de segurança no local da construção não deve ser desprezado.

Alguns softwares disponíveis no mercado incluem funções como o controle de segurança em canteiros de obras, fiscalizando se as normas reguladoras estão sendo seguidas.

Os dados permitem que um gestor planeje e execute ações que incentivem as práticas de segurança no local da obra e reduzam os riscos de acidentes.

Há também o planejamento e apresentação das reuniões de segurança DDS; controle de EPIs (entregas, trocas, manutenções, devoluções); levantamento das necessidades de treinamentos dos colaboradores; organização de documentos trabalhistas e técnicos relativos à segurança.

Agora que já vimos como minimizar os riscos de acidentes no canteiro de obras, quer saber mais sobre como a tecnologia pode auxiliar na sua gestão? Peça uma demonstração.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *