Como otimizar o controle de fornecedores de sua empresa com mais eficácia

Uma gestão de fornecedores eficaz é chave para o sucesso das construtoras. Primeiro porque essa indústria se caracteriza por envolver uma complexa cadeia de suprimentos, caracterizada pelo alto grau de especialidade de seus agentes. Depois porque insumos e terceirizados exercem um enorme impacto nos custos globais da construção, ou seja, afetam diretamente a competitividade das empresas.

A boa notícia é que há uma série de ferramentas e técnicas capazes de simplificar e aumentar a assertividade do controle de fornecedores realizado pelas construtoras.

Quer saber mais? Confira a seguir:

1 – Defina procedimentos para seleção de fornecedores

Falhas na gestão de fornecedores podem causar uma série de dificuldades para as construtoras a curto, médio e longo prazo.  Atrasos em entregas, perda de qualidade e perdas financeiras são alguns problemas que podem ser citados e que, sem o devido controle, podem colocar em risco a imagem da empresa e, pior, comprometer a sua permanência no mercado. Daí a importância de definir um procedimento eficiente para a avaliação e a seleção de fornecedores.

Os fatores a serem considerados na avaliação dos fornecedores devem ser condizentes com a realidade da empresa. Uma estratégia interessante é atribuir um peso a cada um dos fatores apontados como importantes (preço, qualidade, capacidade produtiva, prazo de entrega, etc.). Isso ajuda a determinar a relevância de um fator com relação aos outros.

2 – Faça alianças estratégicas com seus fornecedores

Desenvolver relacionamentos cooperativos com os fornecedores tende a propiciar um jogo em que todos ganham. Procure ver seu fornecedor como parceiro. Isso pode gerar oportunidades para ajustes e antecipação de problemas, sem contar que cria um ambiente de maior comprometimento com relação ao cumprimento de prazos e qualidade nas entregas.

Uma parceria de sucesso gera uma troca de informações relevantes para ambos os lados, que pode ajudar no andamento dos projetos, através de análises conjuntas e melhorias nos processos que envolvem ambas as empresas, gerando um aumento na agilidade das entregas e dos serviços prestados.

3 – Vá além do preço baixo

Na maior parte das vezes, o modelo de seleção de fornecedores na construção civil se baseia na comparação de preços cobrados pelo serviço. Mas apenas analisar o preço pode esconder algumas armadilhas.

A recomendação é que sejam adotados critérios adicionais para a seleção de fornecedores, como:

  • experiência técnica;
  • qualidade;
  • histórico de pontualidade de entrega;
  • flexibilidade;
  • conformidade à legislação;
  • certificações como a ISO 9001;
  • além de códigos de conduta, cláusulas contratuais e mecanismos de auditoria.

Tais critérios devem ser rigorosamente controlados por meio de indicadores de desempenho objetivos e previamente definidos. Muitas vezes, apesar de apresentar um preço maior, um determinado item, em função de sua logística de entrega, pode tornar os processos construtivos mais ágeis, gerando menos custo de mão de obra e reduzindo o custo total do empreendimento.

4 – Centralize e otimize a área de suprimentos

O gerenciamento de suprimentos requer o mesmo grau de planejamento, prevenção, avaliação e ação corretiva utilizado nas áreas de planejamento e construção.

No caso de empresas que trabalham com projetos padronizados, é preferível que as demandas por materiais e serviços de diferentes obras sejam reunidas em grandes pacotes e negociadas com os diversos fornecedores por uma única equipe. Essa estratégia garante vantagens decorrentes do ganho de escala, da abordagem integrada da cadeia produtiva e do maior nível de governança.

5 – Tenha sempre um plano B

Sobretudo para insumos críticos, como concreto e aço, é importante que o construtor esteja preparado para o caso de seu fornecedor falhar. Uma ação válida e prudente é realizar, constantemente, testes com outras empresas para enriquecer o banco de fornecedores.

Mesmo se sua empresa trabalhe com um grupo de fornecedores confiáveis, o ideal é continuar qualificando e verificando se eles estão cumprindo o prometido. O mercado é muito dinâmico.

Diante de uma situação inesperada, é bem possível que ocorram atrasos na entrega ou perda de qualidade. O mais prudente é se preparar para essas situações e ampliar o leque de fornecedores existentes.

6 – Planeje bem suas contratações

Se sua empresa sempre trabalha sob pressão e se constantemente é solicitada urgência para a compra de insumos ou contratação de serviços, é sinal de que o planejamento não anda muito bem. Reveja seus procedimentos internos para não viver “apagando incêndios”.

Além de desgastar seus fornecedores, a urgência pode sair caro para a empresa e levar à contratação de um prestador menos adequado. Lembre-se sempre que a contratação programada gera um grande poder de alavancagem nos custos de aquisição.

7 –  Invista na tecnologia para gerir os fornecedores

A indústria da construção é uma intensa usuária de serviços terceirizados. Tanto é que um dos grandes desafios enfrentados pelas empresas no dia a dia é manter os registros relacionados a colaboradores próprios, terceiros e dos fornecedores em dia. Sem o devido controle, os processos se tornam engessados e há perda de tempo e produtividade.

Para evitar falhas por má gestão e simplificar a rotina de trabalho, vale investir em tecnologia, através de soluções que auxiliem a construtora nessa tarefa. Essas ferramentas podem ser bastante úteis ao oferecer relatórios e controles confiáveis para uma gestão dinâmica e avaliação eficiente dos fornecedores da sua obra. .

Gostou do nosso artigo de hoje? Compartilhe!

Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário!

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *