Como a Big Data pode interferir na Indústria da Construção

Dados é que não faltam. O grande desafio está em gerenciá-los e analisá-los em tempo hábil, para que deles se possam extrair informações úteis e relevantes para melhorar os negócios e capitalizar oportunidades que, do contrário, passariam despercebidas. E essa é uma oportunidade para todos – grandes e pequenos – de todas as áreas de atuação, inclusive a construção civil. É o conceito do big data: a captura, estruturação, análise e visualização de grandes quantidades de dados, inadequadas ao modelo tradicional de banco de dados.

Com empresas fornecendo serviços gratuitos a milhões de usuários, como Facebook, Twitter e Google, as fontes de informações abundam. As questões de privacidade, em muitos casos, são colocadas em foco e viram ponto de controvérsia. Mas quando se utiliza um serviço gratuito, concordando-se com seus termos de uso, e, principalmente, quando se publica informações através dele, não há muito o que se discutir quanto à privacidade.

Assim, as oportunidades do big data tornam-se tão grandes quanto o volume de dados que se pretende analisar. Com o advento da computação em nuvem, tornou-se possível dimensionar a infraestrutura computacional necessária para a execução da tarefa à tarefa em si. Empresas menores que desejam uma análise mais superficial demandam uma certa capacidade computacional; empresas maiores ou que demandam uma análise mais aprofundada, detalhada e criteriosa, demandam mais dessa capacidade.

Existem muitas análises que podem ser feitas através do uso de big data que não seriam possíveis de outra forma, simplesmente por não existir de onde extrair dados. Dessa forma, hoje é possível determinar coisas que em outras épocas só era possível imaginar: gostos, tendências, capacidade financeira, associando ainda tais elementos com outros, como perfil familiar e profissional. Já pensou em como essas informações podem ser bem aplicadas ao se tomar decisões estratégicas ou mesmo definir e selecionar projetos a serem executados?

O próprio perfil escalonável das análises big data faz com que seja mais racional o surgimento de empresas especializadas no assunto. Uma empresa especializada pode dimensionar infraestruturas de processamento e aplicar tecnologias já desenvolvidas para obter resultados excepcionais e surpreendentes. E, como seria de se esperar, já existem hoje diversas empresas atuando no setor, capazes de atender pequenos ou gigantes de qualquer segmento com a mesma eficiência.

Naturalmente, a área de construção civil só tem a se beneficiar do uso de tecnologias e serviços big data. A antecipação de tendências e a melhor compreensão de um cenário socioeconômico de determinado local eram coisas que anteriormente só seriam viáveis mediante pesquisas especializadas, caras e demoradas. Hoje, as decisões estratégicas das empresas do setor podem ser tomadas com maior segurança e um grau de confiabilidade maior até mesmo do que o das antigas pesquisas, afinal, sabe-se que elas contam com muitas distorções devido à forma como os participantes as respondem.

Acima de tudo, a tecnologia big data pode trazer ganhos no gerenciamento e na execução de projetos de construção, proporcionando aumento de produtividade e redução de desperdício. O aumento de produtividade é, aliás, um dos grandes desafios na construção civil. O uso de big data em simulações avançadas pode reduzir o número de mudanças em desenhos de produção e construção, com consequente redução nos custos.

Outro ponto importante é que os mais modernos equipamentos utilizados em construção contam com sensores embutidos, que fornecem dados sobre utilização e padrões de uso, permitindo que os fornecedores melhorem previsões de demanda. No geral, todas as relações com fornecedores tendem a melhorar com o uso de big data, pois torna-se possível compreender melhor as demandas locais e projetar fluxos de insumos, evitando atrasos nos projetos.

A conexão de informações históricas com eventos em tempo real também pode trazer ganhos significativos, que permitem mitigar riscos e aproveitar oportunidades. Os ajustes nos projetos podem ser feitos em tempo real, refletindo as tendências atuais comparadas com as tendências anteriores. Mais uma vez, ponto positivo no processo decisório, garantindo um melhor gerenciamento de riscos e reduzindo a probabilidade de estouro nos prazos ou no orçamento.

Decisões estratégicas, seleção mais adequada de projetos, maior produtividade e um melhor planejamento e gerenciamento podem trazer resultados financeiros às empresas muito maiores que os investimentos baixos em serviços big data. É a tecnologia proporcionando evolução em uma área de destaque em qualquer economia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *